Noticias

Por que é importante se ajudar

Rio Grande do Sul ainda luta para se recuperar das fortes chuvas que atingiu o estado no final de abril O estado do Rio Grande do Sul vive o maior desastre ambiental de sua história. De acordo com a Defesa Civil, cerca de 500.000 pessoas estão desabrigadas e 80.000 encontram-se atualmente em abrigos. Apesar do […]

Publicado em 22 de maio de 2024

Rio Grande do Sul ainda luta para se recuperar das fortes chuvas que atingiu o estado no final de abril

O estado do Rio Grande do Sul vive o maior desastre ambiental de sua história. De acordo com a Defesa Civil, cerca de 500.000 pessoas estão desabrigadas e 80.000 encontram-se atualmente em abrigos. Apesar do grande número de resgates, de pessoas e animais, esse é apenas o início de uma luta longa e árdua para o Estado. 

Muitas das cidades lutam para manter os abrigos, seja por conta de lotação ou por previsão de mais chuvas nessas regiões, que vão afetar diretamente as unidades provisórias. Com novas ondas de chuva e frio, o estado precisa urgentemente de doações de itens de inverno, como roupas quentes e cobertores. 

Também não se pode esquecer que as pessoas plus size ainda estão sofrendo com a falta de vestimentas. Nesse caso, é possível optar por alguma ONG/entidade/marca de sua escolha para ajudar – como a WonderSize.

Porém, mesmo diante de tamanho desastre, as pessoas têm se ajudado. Uma medida muito relevante iniciada pelos próprios moradores do Rio Grande do Sul foi a criação de abrigos específicos para mulheres e crianças e mães com filhos dentro do espectro autista. Sabemos que até mesmo dentro dessa situação, as mulheres ainda são as mais afetadas, o que originou a necessidade desses espaços. Para as que se encaixam no primeiro grupo, a maior parte dos abrigos se encontram em Canoas, mas eles têm se multiplicado em outras cidades, como Porto Alegre e regiões metropolitanas. Para o segundo caso, as mães podem procurar pela instituição Colo de Mãe – que também está recebendo doações via pix. 

Vale lembrar igualmente que muitos projetos beneficentes continuam na ativa, mesmo com toda a tragédia que assolou e assola o Rio Grande do Sul. É o caso da Abefi, uma associação que acolhe crianças, adolescentes, adultos e idosos oferecendo cultura, educação, assistência social, lazer e qualificação profissional. Com o intuito de ajudar o projeto a se manter em pé, o Instituto Rede Mulher Empreendedora fez uma doação de R$30 mil reais, entretanto, esse valor não resolve todos os problemas e eles ainda precisam de muita ajuda. 

O caminho ainda é longo e as pessoas vão precisar de um tempo para se restabelecerem. Não é hora de soltar as mãos dos irmãos do Rio Grande do Sul. O espírito de comunidade deve prevalecer, só assim esse desastre poderá ser superado. Se puder, continue doando, seja dinheiro, comida, vestimentas, água e remédios, para as pessoas e para os animais – de grande e pequeno porte -. 

ARTIGO ESCRITO POR

https://rme.net.br/wp-content/uploads/2024/04/Mask-group-2024-04-02T135244.953.png

Jessica Naur Jornalista