/>

Diante dos desafios, fortalecemos nossa rede e não deixamos nenhuma mulher para trás!

O ano de 2021 começou no olho do furacão que foi, e ainda é, a pandemia do vírus covid-19. Enquanto 2020 foi um baque gigantesco para o mundo todo, este ano pudemos esperar o melhor, que veio com o avanço da ciência. A primeira vacina aplicada em uma mulher negra, enfermeira veterana, se multiplicou inúmeras vezes e chegou em diversos cantos do país. A grande maioria da população brasileira continuou pegando transporte público cheio para conseguir alimentar a família. E quem abriu o próprio negócio, também teve que correr para cumprir essa tarefa. Foi, e sempre é, pensando nas mulheres que a Rede Mulher Empreendedora começou 2021 com tudo.

 

Composta por cursos EAD online e aberta a todas as mulheres, maiores de 16 anos, interessadas em abrir ou desenvolver seus negócios e/ou conquistarem um emprego, a plataforma Potência Feminina foi lançada em janeiro. Com o objetivo de apoiar 10 regiões do Brasil, através de Organizações da Sociedade Civil, OSCs, e doações de computadores, o programa pretende impactar 50 mil mulheres e acelerar 6 mil pequenos negócios.  

 

Nos meses seguintes tivemos diversas atividades oferecendo mentorias coletivas e gratuitas, dentre elas o Mentoring Walk, realizado em um ambiente virtual, com mais de 100 participantes do Brasil inteiro.

 

Para atender além de necessidades pontuais, lançamos capacitações em conjunto com parceiros diversos. Com a Ultragaz, atendemos mulheres do Norte do país; Itaú, contemplamos Cuiabá, Goiânia, Belo Horizonte e, posteriormente, o país inteiro para falar também de bem-estar e auto cuidado. Junto a Bracell e a Braskem, atuamos com iniciativas no entorno de suas fábricas, abrangendo mulheres em vulnerabilidade e oferecendo palestras sobre combate à violência contra a mulher. Além disso, com o apoio dos nossos parceiros Visa e Google Brasil, pudemos falar diretamente para e com mulheres negras.

 

No IRME, através de capacitações como o Curso Empoderamento, realizado com aulas em áudio através de aplicativo de mensagem e desenvolvido para atender mulheres vítimas de escalpelamento em acidentes com embarcações residentes do Norte do Brasil, uma parceria com o UNOPS e MPT, organismo das Nações Unidas, nós capacitamos 100 mil mulheres este ano. 

 

Lançamos também o projeto Juntas Contra a Fome, uma tentativa direta de amenizar efeitos da crise alimentar causados, pela pandemia do vírus covid-19, aos milhares de lares comandados por mulheres. O dinheiro arrecadado foi doado para que instituições, que lutam pela igualdade de gênero, pudessem comprar cestas básicas e distribuí-las às mulheres de suas comunidades. 

 

Ao final, com 34 toneladas de alimentos e mais de 2600 cestas básicas arrecadadas, cerca de 9 mil mulheres foram assistidas pelo programa através de instituições do Ceará ao Rio de Janeiro, do Maranhão ao Distrito Federal. “O propósito do Instituto RME é apoiar as mulheres para conquistar autonomia financeira, mas a pandemia expôs a difícil situação da fome, especialmente para as mulheres. Não poderíamos deixar de agir e criamos a campanha Juntas Contra a Fome para ajudar milhares de mulheres, apoiadas pelo IRME, por todo Brasil a diminuir a insegurança alimentar”, comentou Ana Fontes, fundadora do Instituto e da Rede Mulher Empreendedora. 

 

Mas para apoiar os trabalhos da RME e do IRME, dados são fundamentais. Por isso, lançamos a 6ª edição da Pesquisa anual, elaborada pelo Instituto e Rede Mulher Empreendedora, em parceria com o Instituto Locomotiva, que aborda temas do universo empreendedor feminino e traz ainda perspectivas sobre o perfil dessas mulheres e a relação com seus negócios. “De forma geral, as mulheres se sentem mais independentes, confiantes e seguras quando têm uma geração de renda própria, permitindo que ela mude sua condição dentro de relacionamentos abusivos”, comenta Ana Fontes. 

 

Ainda com foco em capacitar empreendedoras, os programas proprietários da RME abordam três passos importantes para que elas possam melhorar e expandir seus negócios. O RME Acelera visa impulsionar negócios com alto potencial de crescimento e apoiar na inclusão de mais mulheres em startups. Este ano, realizado com o apoio da ACE, Anjos do Brasil, Maya Capital, Canary, Iporanga e BMA Advogados, selecionou para uma turma 10 novos negócios para serem acelerados. O RME Conecta, programa realizado há 3 anos, teve o apoio da FINEP em 2021, seleciona, capacita, certifica e conecta negócios comandados por mulheres a grandes empresas para promover e fomentar negociação e fornecimento B2B. Este ano realizou 2 rodadas de negócios, com participação de 23 grandes empresas, um recorde do programa. E o RME Digitaliza Seu Negócio, parceria com a Amazon, Embaixada dos EUA  e com o apoio da  ONU Mulheres, retornou em sua terceira edição premiando três empreendedoras com capital semente e outras três com mentorias. 

 

Fechando o ano de 2021, o 10° Fórum RME, patrocinado por Google, Sebrae, NuvemShop, Amazon Brasil, Tik Tok, Ultragaz, Pepsico e  Mercedes-Benz Vans, abordou temáticas relevantes para as mulheres, como combate a violência, presença digital e ainda ofereceu super mentorias e inspiração. Este ano ocorreu em formato híbrido, com convidados e telespectadores espalhados pelo mundo, mas transmissão e equipe em São Paulo. Em 3 dias de evento, o Fórum teve mais de 100 mil inscritos, mais de 50 palestrantes, 25h de conteúdo e 20 atrações entre painéis, mentorias e palestras.

 

Somente em 2021, a RME e o IRME arrecadaram através de programas, como Potência Feminina e Ela Segura, e doações, feitas por parceiros como Carrefour e Visa, cerca de R$3.157.080, distribuídos entre empreendedoras, capacitações e OSCs que impactaram financeiramente mais de 3 mil mulheres em todo o Brasil. Ainda, com o incentivo e fomento do empreendedorismo feminino, ambas instituições acabam por impactar o ecossistema nacional e batalha para que o empreendedorismo feminino possa ser mais valorizado.

 

Reconhecimento e premiações

Em um ano tão difícil, é muito bom ter o trabalho da equipe RME e IRME reconhecido por instituições tão importantes. Em 2021, a RME foi contemplada, na categoria Ouro, no Prêmio WEPs, que tem como objetivo estimular empresas brasileiras a adotarem o propósito de implantar uma cultura de equidade de gênero nas organizações.

 

Pelo segundo ano, consecutivo o Instituto RME recebeu o Selo de Direitos Humanos e Diversidade pelo programa Potência Feminina, que pretende capacitar e impactar em dois anos a vida de 50 mil mulheres de 10 comunidades espalhadas pelo país, e a RME pelo projeto RME Digitaliza, que oferece acompanhamento e ferramentas para que mulheres digitalizem o seu negócio, através da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo – SNDHC/SP. 

 

Além disso, a fundadora e presidente da RME e do Instituto RME, Ana Fontes, foi homenageada pela Câmara Federal de Deputados de São Paulo, pelo dia do empreendedorismo feminino, 19 de novembro. Na semana seguinte, Ana  também recebeu o Prêmio Tarsila do Amaral, que homenageia mulheres empreendedoras nas áreas da Cultura e da Arte, além de incentivar e promover o empreendedorismo entre as mulheres. Ana também foi escolhida para integrar o time de Creators do LinkedIn.

 

2022 tem mais

Neste novo ano, a Rede Mulher Empreendedora segue com o mesmo propósito de oferecer programas com foco em geração de renda, através de capacitações, mentorias, acesso a capital para melhorar a vida das mulheres que encontraram no empreendedorismo uma chance de se tornarem independentes financeiramente e com isso poderem tomar suas próprias decisões. 

 

Daremos continuidade a vários programas onde as mulheres podem escolher o que mais encaixa. Dentre eles estão o Ela Segura, uma parceria com a Fundación Mapfre, que oferece capacitação técnica para mulheres que tiveram a renda prejudicada com a pandemia, com foco em prepará-las para o mercado de trabalho ou construção de seus próprios negócios. 

 

Outro programa que também continua é o Trampo Dela. Uma iniciativa do Instituto RME, em parceria com a Amazon, para ajudar mulheres de todo Brasil a desenvolver características desejadas pelo mercado de trabalho. 

 

Pensando nas empreendedoras que precisam de ajuda para tirar seu negócio do papel, o Instituto RME e o braço filantrópico do Google lançaram o Potência Feminina, programa nacional que apoiará negócios liderados por mulheres por meio de capacitação, aceleração de negócios e capital semente.

 

Se o seu objetivo é tirar aquelas dúvidas, que sempre aparecem durante o comando do seu negócio, o Plantão de Mentoria RME +  Stone irá te ajudar. 

 

Teremos a *Mansão das Empreendedoras um evento anual, que reúne as principais lideranças do circuito de startups, inovação e empreendedorismo feminino, com novidades e, quem sabe, presencial. 

 

 E, claro, o maior evento de empreendedorismo feminino do Brasil volta para a sua 11ª edição, nos dias 14, 15 e 16 de setembro teremos mais um Fórum RME. Para você não perder, inscreva-se já no Save The Date Fórum RME 2022.

 

Nestes 11 anos de RME, foram mais de 9 milhões de mulheres impactadas com nossas ações, entre 2020 e 2021 mais de 32 milhões em geração de renda , mais de 500 vídeos de conteúdo EAD e 1 milhão de mulheres em nosso ecossistema 

 

Nós, da equipe RME e IRME, esperamos que nossas capacitações e premiações tenham ajudado você, seu negócio, seu entorno a melhorarem, seja financeira ou psicologicamente. A vitória da Rede Mulher Empreendedora acontece através das milhares de empreendedoras que conseguem manter seus negócios, que conseguem ter dinheiro para cuidarem de si e de suas famílias e comunidades, que estendem a mão para outra empreendedora. 

 

O objetivo da Rede é oferecer suporte e continuar caminhando para que o empreendedorismo feminino seja genuinamente reconhecido e valorizado. Por isso, em 2022, seguiremos lutando por educação de qualidade, por meios de crédito alternativos e justos, pelo bem-estar e saúde mental de milhares de mulheres, que se juntam a esta grande rede de apoio. Em 2022, seguiremos, mais uma vez, juntas.

 

Ana Fontes e time RME e IRME 

s;