/>

RME Digitaliza: Conheça as finalistas da última edição de 2021

O programa Digitaliza Seu Negócio retornou e em sua terceira edição premiou três empreendedoras com recursos financeiros e outras três com mentorias. A Rede Mulher Empreendedora (RME) em parceria com a Amazon, Embaixada dos EUA  e com o apoio da  ONU Mulheres acompanharam e avaliaram os negócios das empreendedoras participantes. 

 

No dia 12 de novembro foi realizado o Pitch Day, etapa final do programa, que encerra sua última edição de 2021 premiando 3 negócios com recursos financeiros: a escola de idiomas Giselle Fouyer Idiomas, a loja de artesanatos feitos em crochê Quintal de Algodão e a agência de comunicação Essenciar. Os negócios que receberam mentorias foram a marca Bella Griffy Multimarcas, a clínica OdontoSpeed e o Ateliê Vanessa David, também finalistas. No artigo de hoje, cinco histórias serão contadas.

 

OdontoSpeed

 

Adriana de Souza Torres, 48, formada em radiologia, é dona de uma clínica de odontologia na cidade de São Paulo. Dedicada por alguns anos da sua vida à criação de seus três filhos, Adriana contou que teve sempre em si o espírito empreendedor. A vontade de se tornar financeiramente independente e o sonho de abrir o seu próprio negócio, impulsionou ela a enfrentar todas as dificuldades da pandemia. Com ajuda de seu marido no desenvolvimento do seu projeto e dos filhos, em outras áreas necessárias para abrir um negócio, Adriana inaugurou sua primeira clínica odontológica com foco em prevenção da saúde e sem motores, para acolher quem tem medo.

 

O negócio foi aberto, mas o trabalho não para. Uma das principais etapas do triunfo de um empreendimento é a sua digitalização, e para Adriana não foi diferente. “Eu entendi a importância de fazer o meu negócio presente no mundo digital. E, para mim que estou no começo, me tornar finalista no Digitaliza foi como ter uma validação, que serviu como impulso para eu desenvolver meu negócio e espalhar franquias ao redor do país, do mundo”, contou Adriana.

 

Giselle Fouyer Idiomas

 

Professora de inglês desde os 16 anos de idade, Giselle Fouyer Santos Nobrega, 43, se define como uma apaixonada por línguas, principalmente pelo inglês. Nascida em uma família de empreendedores, incluindo mãe e irmãos, Giselle, depois de tantos anos ensinando, percebeu que o método padronizado das escolas de idiomas não funcionava para ela e para alguns de seus alunos. Pensando nisso, ela resolveu abrir a sua escola e realizar um sonho. “Eu sempre tive o sonho de fazer o aprendizado da língua inglesa ser menos sofrido para algumas pessoas. Então, na minha escola, eu desenvolvo métodos personalizados, especiais para enfrentar cada dificuldade que meus alunos têm. É uma forma, inclusive, de fazer com que eu aprenda melhor para ensinar melhor também”, contou ela.

 

Como uma grande curiosa, que consome diferentes tipos de conhecimento, Giselle cruzou com a RME através de uma das edições do programa Cresça com o Google, em 2017. Daí para frente, se mantendo em contato com uma rede de apoio, ela acompanhou as redes sociais da Rede e decidiu se inscrever no RME Digitaliza. Sendo uma das ganhadoras do prêmio financeiro do programa, Giselle pretende investir em tecnologia para tornar a escola cada vez mais digital e avançada para seus alunos.

 

Bella Griffy Multimarcas

 

Karine Pereira dos Santos Oliveira iniciou no empreendedorismo como muitas mulheres iniciam. Durante boa parte da adolescência e início da vida adulta, ela foi revendedora de cosméticos. Em busca de novos caminhos, ela começou a trabalhar no terceiro setor, mas especificamente em uma Ong, enquanto trabalhava também como sacoleira. Quando ela resolveu abrir sua própria loja, ela saiu deste trabalho fixo e, “com o dinheiro da rescisão do contrato, escolhi o meu ponto e lutei por ele, sem desanimar ao ouvir comentários como ‘em loja de bairro ninguém vai querer comprar roupa’, mas quando vão no centro atrás da mesma peça que eu estava vendendo, veem que o preço lá é mais alto, os clientes voltam e compram comigo”, relatou.  

 

Em busca de bos capacitações, para ter cada vez mais conhecimento para guiar o seu negócio, Karina fez cursos no Sebrae, na Aliança Empreendedora, que foi onde conheceu a RME. Algumas capacitações depois, ela resolveu se inscrever no RME Digitaliza para aprimorar a presença do seu negócio no mundo digital.

 

Quintal de Algodão

 

Roberta de Oliveira Viana de Souza casou-se em 2012 e logo em seguida perdeu o emprego. Mas, ainda empregada, ela já tinha grande interesse em artesanato e já produzia alguns produtos, e efetuou ainda algumas vendas entre amigos. No tempo que ela teve, após sua demissão, procurou diversos cursos e desenvolveu técnicas de artesanato para empreender na área, mas acabou como decoradora de festa. Em seus 5 anos nesta carreira, ela estudou marketing digital, mas tinha dificuldade para implantar em seu negócio o que aprendia. Com o nascimento de sua filha, ela pausou a carreira de decoradora e se aventurou como designer gráfica, produzindo outros produtos, como convites de casamento.

 

Em 2020, durante a pandemia e mudança de estado devido ao emprego de seu marido, ela resolveu aprender crochê, “eu fiquei completamente apaixonada”, contou ela. “Eu já conhecia a RME através das redes sociais, me cadastrei na newsletter, e quando eu vi a oportunidade de me inscrever no RME Digitaliza, eu fiquei muito animada”, completou Roberta. Como uma das ganhadoras desta edição do programa, ela pretende usar o prêmio para se capacitar na área de vendas e desenvolver habilidades que ajudem-na a comandar seu negócio. 

 

Essenciar

 

Jornalista por formação, Taís Gomes de Carvalho contou que “a ideia de empreender nasceu a seis anos, por causa do excesso de trabalho que a área de comunicação me trazia”. Com experiência em rádio e assessoria de imprensa, foi em uma agência de comunicação que ela se apaixonou pelo mundo digital. “Mas eu estava atendendo muitos clientes, em média 30, e eu estava a beira de um burnout com muita promessa, mas pouca visão de futuro”, então, para criar o mundo que ela queria na comunicação, Taís abriu a Essenciar, uma agência de comunicação, junto do seu, hoje, marido, oferecendo uma comunicação mais humanizada para pequenos empreendedores. 

 

O conhecimento para oferecer um serviço de qualidade para os seus clientes e o atendimento humanizado serão o guia para a expansão da expansão do negócio. Como uma das ganhadoras do prêmio do RME Digitaliza, “não pretendemos deixar a prestação de serviços de lado, mas queremos ampliar os nossos produtos, abrir vagas para pessoas lgbtqia+ e ter um braço de educação para pequenas empreendedoras”, finalizou ela.

 

Para acompanhar o RME Digitaliza e outros cursos do IRME, acompanhe as redes sociais da Rede Mulher Empreendedora.

s;