/>

20 de novembro: o dia da consciência negra deveria durar o ano todo

É comum vermos diversas marcas e grandes empresas produzirem mais conteúdos. Campanhas publicitárias são lançadas em datas marcantes como mês do orgulho LGBTQIA+, setembro amarelo, e o Dia da Consciência Negra não escapa desse súbito interesse em assuntos que se referem, diretamente, às minorias sociais. Mas se o interesse em apoiar pessoas pretas é genuíno, seja contratando para fazer parte da sua equipe no seu negócio, seja cedendo espaço para que suas vozes sejam ouvidas, ou se apenas deseja se educar, aqui listamos algumas atitudes a tomar.

 

  • Reconheça o racismo

 

Em uma sociedade que negros sofrem agressões diariamente, que 82% das empreendedoras negras afirmam conhecer alguma mulher que já sofreu agressão e 18% delas já sofreram algum tipo de violência, de acordo com a 6ª edição da Pesquisa Anual da IRME, reconhecer o racismo e dar atenção a essas agressões é um dever de todos que desejam se juntar a luta antirracista. 

 

  • Dê espaço para pessoas negras

 

O mercado de trabalho é muito mais exigente com pessoas negras, apesar das vagas em universidades federais e estaduais terem apenas 24% e 16%, respectivamente, direcionadas a esta minoria, conforme os dados do IBGE. Apenas 38% das empreendedoras negras têm ensino superior completo, 23% possui ensino médio e 16% apenas o ensino fundamental, conforme a 6ª edição da Pesquisa Anual da IRME. Para mudar este cenário, é preciso reconhecer o conhecimento que pessoas negras possuem, empregá-las e remunerá-las justamente.

 

  • Pessoas brancas devem admitir seus privilégios

 

Entender sua condição de pessoa branca privilegiada, é importante para perce ber que você não é o foco da luta antirracista, mas que sua voz pode espalhar os objetivos deste movimento. Ajudar a atingi-los e educar outras pessoas brancas, desde que você tenha o conhecimento correto sobre, é um passo essencial para que sua participação nesta luta seja ativa. 

 

A Rede Mulher Empreendedora acredita na capacidade de mulheres negras para liderarem negócios de sucesso e, por isso, já ofereceu, em uma parceria com o Google.org, o Cresça com o Google para Mulheres Negras, um programa de capacitação gratuita com foco em mulheres que querem reconquistar uma posição no mercado de trabalho, e, em parceria com a Visa, o programa Elas Prosperam, que ofereceu capacitação para empreendedoras e premiou 3 negócios com capital semente de 10 mil reais. Além disso, a maioria das participantes das capacitações da RME e do IRME são mulheres negras, representando 75% das participantes só no programa Potência Feminina.  

 

Para saber mais sobre o programa Cresça com o Google e outras capacitações, acompanhe as redes sociais da Rede Mulher Empreendedora.

s;