Rede Mulher Empreendedora passa a integrar o “Conselho para Capitalismo Inclusivo com o Vaticano”

Membros do Conselho anunciam o compromisso de suas organizações com a criação de uma economia mais inclusiva

 

 

A Rede Mulher Empreendedora, a primeira e maior rede de apoio ao empreendedorismo feminino no Brasil, passa a integrar o “Council for Inclusive Capitalism with the Vatican”, uma organização global sem fins lucrativos que reúne imperativos morais e de mercado para construir um sistema econômico mais inclusivo, sustentável e confiável que atenda às necessidades das pessoas e do planeta. “Estou honrada em dar as boas-vindas a Ana Fontes, e sua RME, ao Conselho e espero trabalhar com ela e sua equipe para garantir um futuro melhor para todos nós”, disse Meredith Sumpter, CEO do Conselho para Capitalismo Inclusivo. 

 

 

O Conselho para o Capitalismo Inclusivo está focado na ação. Coordenado por CEOs e líderes globais que comprometem suas organizações com medidas específicas para criarem valor de longo prazo para todas as partes interessadas. “Quer você administre uma pequena empresa, uma empresa de médio porte ou seja o CEO de uma corporação global, todos temos um papel a desempenhar para construir economias e sociedades mais inclusivas”, afirma Meredith Sumpter.

 

 

Segundo ela, os compromissos dos membros são mensuráveis ​​e publicados na plataforma online oficial da instituição. “Esses compromissos têm como objetivo motivar e desafiar os outros membros a articular idéias e contribuições para o movimento. As organizações aliadas trabalham em paralelo com os valores do Conselho, fornecendo um exemplo por meio de seu próprio trabalho e missões”, explica, reforçando que o Conselho é inclusivo e seus membros lideram organizações de todos os tamanhos, em todos os setores e territórios. “Abordamos a urgência em termos ações conscientes e coletivas de todo Conselho, ou seja, de líderes da indústria a empreendedores de pequeno e médio porte, para dimensionar o impacto necessário para que o capitalismo se torne mais inclusivo e sustentável”, finaliza Meredith.

 

 

O Conselho foi lançado em dezembro de 2020 com a convicção de que as empresas têm a responsabilidade e a capacidade de criar economias e sociedades mais fortes, justas e dinâmicas. A filiação ao conselho está aberta a todas as empresas e organizações que desejam assumir compromissos públicos mensuráveis ​​para práticas de negócios mais inclusivas e sustentáveis. A lista completa dos membros do Conselho está disponível no site https://www.inclusivecapitalism.com/our-members/

 

 

Sobre o Council for Inclusive Capitalism:

O Conselho para o Capitalismo Inclusivo é uma organização global sem fins lucrativos criada para aproveitar o potencial do setor privado para criar uma forma de capitalismo mais inclusiva, sustentável e confiável. O Conselho é guiado por Sua Eminência o Cardeal Peter Turkson, que lidera o Dicastério para a Promoção do Desenvolvimento Humano Integral no Vaticano e é liderado por um grupo central de CEOs globais e líderes públicos, conhecidos como Guardiões do Capitalismo Inclusivo, que se reúnem anualmente com o Vaticano para promover a missão do Conselho. Mais informações podem ser encontradas em www.inclusivecapitalism.com.

s;