/>

Ações contra a fome salvam vidas

Veja como a CUFA SP tem ajudado na execução da campanha Juntas contra a fome, promovida pelo Instituto RME de abril a junho

 

Desde o início da pandemia, vimos que os negócios de mulheres foram os mais afetados. A pesquisa Empreendedoras e Seus Negócios de 2020 mostrou que 20% das respondentes tiveram paralisação total de suas atividades, contra 16% dos homens.

 

No mercado de trabalho, dados do Pnad divulgados em fevereiro de 2021 mostram que 8,5 milhões de mulheres tinham saído do mercado de trabalho no terceiro trimestre do ano passado. 36% delas são mães.

 

Tendo em vista o cenário, ações contingenciais tornaram-se essenciais para a sobrevivência. Por conta disso, o Instituto RME criou a campanha Juntas contra a fome, que tem arrecadado dinheiro para cestas básicas, que estão exclusivamente sendo distribuídas para mulheres, por meio de organizações sociais parceiras.

 

Até o momento, mais de 600 cestas básicas foram entregues, sendo 200 delas via CUFA SP (Central Unica das Favelas), que realiza diversas ações no combate à fome. Cada CUFA atua e arrecada de acordo com as necessidades de seu entorno, mas os destaques com certeza estão na conhecida campanha “Mães da Favela 2021”, do Movimento Panela Cheia, e na campanha “Band Contra a Fome”, da qual todas as CUFAS do país participaram.

 

A Rede Mulher Empreendedora é uma antiga parceira da instituição e convidou a CUFA SP para ajudar na execução da campanha, por conta de sua capilaridade em territórios vulneráveis. A compra das cestas é feita a partir de pesquisas de mercado, para escolher o melhor custo-benefício, e são distribuídas para mulheres cadastradas no sistema interno da organização. Já no caso das cestas digitais, é checado com as mães se é melhor para elas receber via Picpay ou via VR, duas empresas com as quais a CUFA SP tem parceria também.

 

Segundo a CUFA SP, o problema da fome é um dos mais graves que podemos enfrentar, porque ter o alimento na mesa é uma premissa básica de sobrevivência. 

 

“A fome não espera, ela mata, e tem sido muito preocupante ver o número de pessoas com fome aumentando a cada dia. Desde o início da pandemia, nós estamos vendo a questão da fome se agravar. Com o aumento do desemprego no país, a economia enfraquecida, e os hospitais lotados, o resultado não poderia ser outro. A fome já era a realidade de muitos brasileiros, o que a pandemia fez foi agravar e evidenciar ainda mais esses problemas, que são fruto das desigualdades do nosso país.”

 

Mais informações sobre o Juntas contra a fome

 

A campanha de arrecadação vai até junho. Se você puder, doe hoje a partir de R$ 10 reais no link (https://doare.org/irme) e nos acompanhe para mais prestações de contas. 

 

A cada um real doado, o Instituto RME doará mais um real, até o valor de R$ 50 mil, para ampliar o impacto da campanha. 

s;