“Meu objetivo é energizar e ajudar a transformar outras mulheres”

“Meu objetivo é energizar e ajudar a transformar outras mulheres”

“Como eu sou girassol, você é meu sol.” Quem nunca escutou essa música e remeteu a flor a um ato romântico, não é mesmo? Essa música marcou uma geração e encontrou espaço ao lado das rosas nos corações mais sentimentais.

Hoje vamos contar a história de uma mulher que levou o girassol para um outro espaço, mas que também é de muita entrega e propósito. Erica Encarnação é o nome dela. Ela mora no Rio de Janeiro, mais especificamente na região de Duque de Caxias e já foi doméstica, supervisora de limpeza, babá, vendedora de açaí, bala de leite condensado e bolo de pote, tudo o que podia para se virar e ajudar a sustentar a casa que divide com o marido e quatro filhos.

Amigas que indicam

A história de Erica cruzou com a nossa por meio de uma amiga, que a indicou para inscrição no curso Empreendedoras Braskem. Segundo ela, isso foi um divisor de águas e fez um diferencial muito grande em sua vida. “Eu fiz as capacitações e mentorias mensais e consegui abrir meu negócio de açaí. Minha vida melhorou muito e eu consegui atingir meus objetivos financeiros.”, disse.

Depois dessa participação, ela continuou ligada conosco por meio do Ela Pode, um outro projeto que também leva capacitação em empreendedorismo de forma gratuita para mulheres de todo Brasil. 

Ampliando o impacto

Erica faz parte do projeto social Nova História, que trabalha com crianças em sua comunidade e, segundo ela, a vontade de ajudar as mães dessas crianças sempre esteve presente. Motivada por esse desejo ela entrou no Empreendedoras Braskem, mas, como as contas não esperam, ela se concentrou em seu próprio negócio até a chegada da pandemia. 

Seu marido é do grupo de risco e não poderia ser exposto a aglomerações. Sem a possibilidade de fazer delivery, ela fechou o negócio. Uma vez Erica ouviu que depois que o bichinho empreendedor morde, era difícil sair, e a criação da Rede de Mulheres Girassol dentro do projeto Nova História exemplifica esse incômodo dela. 

“O Girassol é uma flor que eu gosto muito e eu me senti com o espírito de girassol, entendeu? De energizar outras mulheres, de transformar mulheres. Ao nascer do sol ela se vira para o sol para poder colher energia, né? E aí, quando o sol se põe elas viram uns para os outros para se energizar até o próximo nascer do sol. Eu peguei essa máxima para mim.”, explicou.

Por ver essa brecha em sua comunidade, ela começou a se aventurar em reunir mulheres para passar conteúdo sobre empreendedorismo caseiro para elas. 

Rede de apoio

Erica faz parte de um grupo onde está Stellinha Moraes, da ONG Anjos da Tia Stellinha (já falamos dela aqui). Foi lá que ela ficou sabendo do Potência Feminina, novo projeto do Instituto Rede Mulher Empreendedora focado em empreendedorismo, empregabilidade e tecnologia. Para Erica, foi uma oportunidade.

“Eu falei ‘essa é a chance que eu preciso para criar um vínculo de confiança com as mulheres daqui, colocando elas em contato direto com o que é ser uma potência’. Aí eu fiz o curso do Potência lá na Tia Stellinha para mostrar pra elas que toda mulher consegue e que podemos ser protagonistas da nossa história.”, falou. 

O desejo de levar o curso para o bairro dela aumentou, mas sem uma estrutura de internet, ficaria difícil. Foi aí que a rede de apoio se ampliou mais uma vez: a igreja que Erica frequenta emprestou o espaço e a internet para que as mulheres pudessem estudar. No bairro Santa Lúcia, a presidente da Associação também emprestou o espaço e a internet para que Erica pudesse repassar o conhecimento do Potência Feminina a outras 20 mulheres. Depois do Carnaval, está programado uma capacitação com mais 30 mulheres no Jardim Ana Clara, onde Erica mora.

“Eu conquistei algumas coisas através dos conteúdos. Eu empreendia, mas eu não sabia que podia ser tão realizada, podia ter tanto sucesso diante daquilo que eu faço. Hoje eu consigo repassar para elas os conteúdos que eu recebo. Tem sido maravilhoso pra mim. Elas são mulheres feito eu, mães de família, pensam em empreender para ajudar dentro de casa, tem mulher que empreende para sustentar a própria casa, faz uma unha, um cabelo, um bolo de pote. A gente tem conseguido um resultado maravilhoso aqui.”, finalizou.

Se você tiver interesse em participar do Potência Feminina, clique aqui.

s;