/>

Finanças pessoais: crescem golpes sobre pirâmides financeiras

JULHO DE 2020 – Retorno financeiro muito acima dos investimentos tradicionais e garantia do retorno sobre o capital investido de forma rápida. Essas são as principais falsas promessas das pirâmides financeiras. Segundo a Comissão de Valores Mobiliários  (CVM), denúncias de possíveis crimes e golpes, entre eles pirâmides financeiras 184 relatos em 2019, o maior da história, e 41% superior aos 130 no ano anterior.

 

 

A especialista em finanças pessoais, Carol Stange, também relata que muitos investidores a procuraram com dúvidas sobre produtos financeiros que prometiam lucros acima do normal. “Orientei essas pessoas a procurarem a CVM para a verificação se existem registros para a atuação no mercado financeiro destas empresas. “Com a crise financeira, aumentou a quantidade de pessoas que me consultaram com dúvidas de investimentos que prometem retorno muito acima do mercado e que podem ser até caracterizados como pirâmides e por isso, é preciso cautela”.

 

 

Carol Stange explica que nesse sistema, a companhia não deixa claro em quais produtos está investindo o seu dinheiro e também não registra as aplicações em seu nome. Esse tipo de “negócio” fraudulento e considerado crime no Brasil, também promete retorno financeiro, caso o participante indique novos investidores e desta forma caracteriza-se o nome pirâmide financeira. Sendo que, os investidores mais antigos são pagos com os recursos dos novos participantes para ingressarem no negócio e os novatos sempre precisam investir um valor pré-determinado.

 

 

Nessa operação, não existe lucro real, apenas a utilização de dinheiro dos novos membros para pagar os membros mais antigos. Os retornos prometidos no início do investimento costumam ser entregues pelo fraudador como forma de mostrar que o investimento é sério e as promessas estão de fato sendo cumpridas, mas esses negócios quebram a qualquer momento. “ A principal dificuldade com o passar do tempo é que haverá dificuldade para incluir novos participantes na operação, impossibilitando a manutenção de seu ritmo de crescimento. Com a falta de novos investidores, as receitas diminuem e o fraudador não tem mais capacidade de remunerar os mais antigos”, finaliza ela.  

 

 

Para não cair em um negócio fraudulento, confira 7 sinais que vão ajudar na identificação de pirâmide financeira:  

 

 

  1. O Efeito Halo

    É comum que os fraudadores vendam uma imagem de investidores bem-sucedidos, milionários e com supostos métodos de sucesso financeiro comprovados. Não se deixe levar pelas aparências! Essa tática é amplamente utilizada para recrutar novos membros para a pirâmide.  É o que o campo das finanças comportamentais chama de “Efeito Halo”, onde a mente humana julga e tira conclusões sobre outra pessoa a partir de estereótipos.

     
  2. Prova Social de Sucesso Financeiro

    Sabe os eventos grandiosos com fotos de viagens dos fundadores e a coleção de carrões do dono do esquema como prova de que ele realmente ganhou dinheiro com isso. A ostentação é uma manipulação clássica usada para como prova da rentabilidade do negócio.

     
  3. É por tempo limitado!

    Para atrair novos participantes, os fraudadores costumam vender a ideia de que aquele investimento é valioso, exclusivo e trata-se de uma possibilidade única de conseguir altos retornos – e, chances assim não aparecem todo dia à nossa porta!

     
  4. Busca constante por novos integrantes

    Geralmente o investidor é avisado sobre a necessidade de convidar familiares e amigos logo no começo do esquema, e os pedidos por novos integrantes são reforçados ao longo da vida útil da pirâmide.

     
  5. Rentabilidade garantida e nenhum risco

    Promessas de alta rentabilidade e de baixíssimo (ou nenhum) risco. Não há segredo: em finanças, risco e retorno andam de mãos dadas. Ligue o sinal de alerta para qualquer promessa de retornos elevados e garantidos, riscos baixos ou inexistentes e ainda, em um curto espaço de tempo.

     
  6. Não há registro nos órgãos reguladores

    As pessoas que caem nos golpes das pirâmides financeiras não costumam saber que é obrigatório, para que um investimento seja comercializado no brasil, o seu registro de distribuição em órgãos como a CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Essa consulta pode ser realizada facilmente no site da autarquia.

     
  7. Depósitos em contas pessoais

    E por fim, o fraudador pede depósito em conta corrente de pessoa física como forma de garantir a participação do investidor no esquema. Transferir recursos diretamente para contas corrente pessoais, ou para uma conta bancária de uma empresa sem registro na CVM é o ultimo sinal  de que algo não está certo.

 

 

Texto de Carol Stange, colunista sobre finanças pessoais dos veículos Guia BolsoCobizz, Revista Em Condomínios (maior mídia regional do país) e do blog empresarial Paketá Crédito. É também multiplicadora do programa de educação financeira “Eu e meu dinheiro” do Banco Central e criadora da marca “Como enriquecer seu Filho”.  

s;