Confira como foi a live sobre finanças e determinações do governo, com Heloisa Motoki

No dia 26, quinta-feira, a contadora e embaixadora da Rede Mulher Empreendedora, Heloisa Motoki, realizou uma live pelas redes sociais da RME para tirar dúvidas sobre finanças  e falar sobre as determinações do governo em tempos de crise. 

 

 

Confira os pontos abaixo:

 

 

Imposto de Renda Pessoa Física 

 

 

O governo ainda não prorrogou a entrega do imposto de renda deste ano, mas é possível que um aviso de prorrogação só venha nos últimos dias de abril, mas o conselho da especialista é que a empreendedora não deixe para a última hora conhecer o sistema de envio do imposto e nem de ter toda a documentação em mãos, principalmente comprovantes de banco, despesas gerais, entre outros.

 

 

Impostos – Simples Nacional para empresas e microempreendedores individuais

 

 

O Simples Nacional foi prorrogado, SOMENTE a parte da guia referente a impostos federais. Não há ainda resolução sobre a parcela de impostos municipais e estaduais que compõem esse imposto.

 

 

Aguarde até a virada do mês para novas informações quanto às prorrogações das instâncias municipais e estaduais.

 

 

IMPORTANTE! Não deixe as guias atuais sem pagar até ter o fechamento da medida. Além disso, quem tem parcelamento também deve ficar de olho, pois não está inserido na medida atual.

 

 

Imposto de Renda Pessoa Jurídica do Simples Nacional e MEI 

 

 

O prazo inicial foi prorrogado essa semana e pode ser entregue até 30/06/2020 referente ao ano calendário de 2019, as demais obrigações acessórias continuam sem qualquer previsão de prorrogação. 

 

 

Questões trabalhistas

 

 

  • Trabalho remoto, férias, férias coletivas, banco de horas são medidas possíveis para o trabalho nesse cenário. É possível mudar o contrato de trabalho para trabalho remoto, mas atente-se as previsões da convenção coletivas do sindicato, os benefícios do funcionário, alimentação deve ser mantida, transporte não é obrigatório,  mas é preciso avaliar ajuda de custo para o trabalho em casa como energia elétrica e internet, não há legislação exata para uma possível compensação, deve ser conversado entre empregador e funcionário.

 

 

  • Prazos para demissão nesse período seguem as mesmas regras da CLT e convenções coletivas – como estabilidade pós-férias, aviso prévio e períodos de dissídio. Atente-se a cálculos de rescisão e indenização. A Medida Provisória do Governo Federal confirmou dar férias sem aviso prévio de 30 dias e ações de acordo entre empresa e funcionário. Atenção: Não saiu nenhuma medida sobre redução de horas, subsídio do governo, nem liberação de seguro-desemprego e  FGTS.

 

 

  • Redução de salário em até 25% – está previsto na CLT, mas não é consenso de que pode ser feito do ponto de vista legal. Além disso, a jornada de trabalho deve ser reduzida em 25%. Há alto risco de questionamento posterior. Adapte o trabalho para uma combinação de home office e férias, se for possível. Fazer redução de horas é outra possibilidade.

 

 

Diálogo

 

 

Mantenha um diálogo aberto, honesto e franco com os seus funcionários. Seja transparente, converse e negocie com todos que fazem parte do seu negócio.

 

 

Dívidas

 

 

  1. Negocie aluguel o máximo possível.
  2. Fique atento às prorrogações e aos parcelamentos dos impostos – deixe mais próximo do período de vencimento.
  3. Priorize funcionários e faça planejamentos de curto prazo.
  4. Negocie contratos, mas tome cuidado para não cortar o que é essencial.
  5. Vá até o banco para pedir as prorrogações de pagamento de dívidas, muitos estão concedendo mas você precisa ir até o seu gerente.
s;