5 ONGs para ajudar os refugiados no Brasil

No Brasil, o dia 28 de agosto é o Dia Nacional do Voluntário. Segundo a última pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 7,4 milhões de pessoas já realizaram trabalho voluntário, o equivalente a 4,4% da população de 14 anos ou mais de idade.

 

Voluntário é uma pessoa que doa seu tempo e/ou habilidade em prol de uma determinada causa, sem receber nada em troca. Entre as possíveis causas para abraçar, a ajuda aos refugiados se destaca nos últimos anos – apenas em 2017, o Brasil recebeu cerca de 34 mil pedidos de refúgio de imigrantes (Conare).

 

Confira abaixo 5 ONGs para contribuir com a causa dos refugiados:

 

Abraço Cultural

 

Com operações no Rio de Janeiro e São Paulo, o Abraço Cultural emprega refugiados e migrantes para dar aula de idiomas e compartilhar sua cultura, promovendo uma rica troca de experiências, com a intenção de contribuir para a inserção dessas pessoas em nossa sociedade. Os voluntários podem ajudar no atendimento direto aos alunos e professores, participar na organização dos eventos culturais e oferecer serviços de design, marketing e comunicação. Atualmente, há vagas para Designer Gráfico(a), Programador(a) e Fotógrafo(a).

 

Site: http://www.abracocultural.com.br/

 

Endereços: R. dos Pinheiros, 706, Casa 6 – Pinheiros, São Paulo/ R. Conde de Bonfim, 488, 3º andar – Tijuca, Rio de Janeiro.

 

Missão Paz

 

Renovando-se constantemente, e atendendo a pessoas de mais de 70 nacionalidades desde 1939, a Missão Paz oferece apoio completo aos imigrantes e refugiados, desde serviços de documentação, informação jurídica, mediação de trabalho, serviços de saúde física e mental, assistência social e acolhimento. Atualmente, cerca de 50 pessoas atuam em diversas funções, de acordo com sua disponibilidade. Todos passam por um treinamento com o responsável pela área em que irá atuar, para poderem exercer suas funções de maneira adequada, respeitando o código de conduta e os princípios da instituição.

 

Site: http://www.missaonspaz.org

 

Endereço: Rua Glicério, 225 – Liberdade, São Paulo

 

Compassiva

 

Compassiva é uma organização social que atende crianças, adolescentes, mulheres e refugiados em situação de vulnerabilidade na cidade de São Paulo. O nome Compassiva foi gerado através da vontade dos voluntários de serem agentes da compaixão. Atuante desde 1998 e situada no centro da capital paulistana, a Compassiva busca aprofundar o relacionamento entre voluntários e atendidos, criando a oportunidade de transformar as vidas de todos os envolvidos.

 

Site: http://compassiva.org.br/

 

Endereço: Rua da Glória, 900 – Liberdade, São Paulo

 

Caritas

 

Criada em 1956 pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a Cáritas Brasileira  é uma das 164 organizações-membros da Rede Cáritas Internacional que estão espalhadas ao redor de todo o mundo. Em território nacional, atua em 450 municípios. Com a ampliação do fluxo migratório no Brasil, muitas Cáritas têm recebido migrantes e refugiados em busca de ajuda. Diante desse contexto, a rede está aumentando sua atuação no favorecimento da acolhida e da integração de todos que chegam ao nosso país na condição de imigrantes ou de refugiados. A Rede Cáritas possui como principal objetivo formar uma sólida rede de apoio para os atendidos.

 

Site: http://caritas.org.br/

 

Endereço: há disponibilidade de atendimento em seis capitais brasileiras, os endereços podem ser encontrados em http://caritas.org.br/programas-caritas/refugiados

 

PARR – Programa de Apoio para a Recolocação dos Refugiados

 

O PARR foi criado em Outubro de 2011 pela EMDOC – consultoria especializada em imigração, transferências para o exterior e relocation – com o apoio do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) e o Centro de Referência para Refugiados da Caritas Arquidiocesana de São Paulo. Com o intuito de integrar refugiados e solicitantes de refúgio na sociedade brasileira, o programa tem como premissa central assegurar que os atendidos atinjam a autossuficiência por meio de seu próprio trabalho. Para isso, o PARR busca sensibilizar a sociedade, com foco no empresariado nacional, reforçando a capacidade que refugiados e solicitantes de refúgio têm de contribuir com a economia brasileira.

s;