Mulheres são destaque no empreendedorismo brasileiro

Empreender é identificar oportunidades, é ter jogo de cintura, é preciso faro, criatividade, muita pesquisa, planejamento e, sobretudo, disciplina. Quando se é mulher o desafio é ainda maior, pois além de lutar para conquistar espaço em mercados predominantemente masculinos, muitas vezes a empreendedora precisa conciliar a vida profissional com a pessoal.

 

Apesar dos desafios, as mulheres têm se tornado as principais empreendedoras do Brasil, como aponta uma pesquisa realizada pelo Sebrae, que demonstrou que elas representam 52% dos novos negócios abertos no país. Há dez anos, esse número era inferior a 30%.

 

Além disso, segundo dados da Rede Mulher Empreendedora, 24 milhões de mulheres empreendem no Brasil, sendo que 5,6 milhões podem chegar a faturar R$ 3,6 milhões ao ano. Ainda que o investimento em empresas fundadas por mulheres seja menor, elas geram receitas mais altas. De acordo com o BCG, as companhias co-fundadas por mulheres geraram 10% mais em renda acumulada num período de cinco anos: foram US$ 730 mil contra US$ 662 mil, no caso dos homens. Em outras palavras, a cada US$ 1 investido na empresa, as mulheres geraram US$ 0,78, enquanto os homens geraram menos da metade: US$ 0,31

s;