Dell anuncia índice “We Cities 2019”: São Paulo aparece entre as 50 cidades mais favoráveis ao empreendedorismo feminino

Estudo promovido pela Dell analisa os locais mais promissores para mulheres empreenderem no mundo, com base em políticas, programas e características regionais

A Dell Technologies anuncia nesta segunda-feira (15/07) os resultados do índice Women Entrepreneur Cities (WE Cities) 2019, produzido em parceria com o IHS Markit. O estudo, divulgado a cada dois anos, analisa as 50 cidades mais promissoras para o empreendedorismo feminino, com base no impacto de políticas, programas e características locais. São Paulo é a única cidade brasileira citada no ranking, apresentado durante o 10º Encontro do DWEN (“Dell Women Enterpreneur Network”. Em português, “Rede De Mulheres Empreendedoras da Dell”), que acontece entre os dias 14 e 16 de julho em Singapura, na Malásia.

A cidade de São Paulo aparece no 45? lugar no ranking geral do We Cities 2019, com queda de três posições em relação à última edição do índice, de 2017. Entretanto, a capital paulistana tem destaque por conta do aumento dos investimentos locais para o empreendedorismo feminino e aparece no segundo lugar entre as dez cidades com mais melhorias no ambiente operacional para empreendedoras, atrás de Washington e à frente de Belfast (Irlanda), Istambul (Turquia), Vancouver (Canadá), Boston (Estados Unidos), Sydney (Austrália), entre outras.

Com base em dez anos de pesquisa sobre mulheres empreendedoras, o índice pesquisou e classificou as cidades a partir de cinco importantes características: acesso a Capital, Tecnologia, Talento, Cultura e Mercados. Esses pilares foram organizados em dois grupos: ambiente operacional e condições favoráveis. A classificação geral é baseada em 71 indicadores, dos quais 45 têm um componente baseado em gênero.

Ranking geral do We Cities 2019: classificação das 50 cidades mais favoráveis ao empreendedorismo feminino

Baía de São Francisco (EUA)
Nova Iorque (EUA)
Londres (Inglaterra)
Boston (EUA)
Los Angeles (EUA)
Washington (EUA)
Seattle (EUA)
Paris (França)
Toronto (Canadá)
Estocolmo (Suécia)
Vancouver (Canadá)
Sydney (Austrália)
Melbourne (Austrália)
Austin (EUA)
Chicago (EUA)
Amsterdã (Holanda)
Portland (EUA)
Barcelona (Espanha)
Berlim (Alemanha)
Atlanta (EUA)
Singapura (Malásia)
Houston (EUA)
Hong Kong (China)
Copenhagen (Dinamarca)
Minneapolis (EUA)
Taipé (Taiwan)
Munique (Alemanha)
Belfast (Irlanda do Norte)
Cidade do México (México)
Dublin (Irlanda)
Miami (EUA)
Tel Aviv (Israel)
Pittsburg (EUA)
Tóquio (Japão)
Milão (Itália)
Johannesburg (África do Sul)
Dubai (Emirados Árabes Unidos)
Beijing (China)
Varsóvia (Polônia)
Nairóbi (Quênia)
Seul (Coreia do Sul)
Lima (Peru)
Bangalore (Índia)
Kuala Lumpur (Malásia)
São Paulo (Brasil)
Guadalajara (México)
Xangai (China)
Istambul (Turquia)
Jacarta (Indonésia)
Déli (Índia)

Com relação às barreiras enfrentadas pelas cidades avaliadas, pode-se ressaltar: falta de financiamento, custo de vida alto, baixa representatividade de mulheres em cargos de liderança e falta de políticas governamentais que apoiam mulheres empreendedoras.

“Quando investimos em mulheres, investimos no futuro; as comunidades prosperam, as economias melhoram e a próxima geração lidera com propósito”, diz Karen Quintos, vice-presidente executiva e diretora de clientes da Dell. “Apresentando aos líderes e legisladores pesquisas práticas e orientadas por dados sobre o panorama para mulheres empreendedoras, podemos juntos acelerar o sucesso de empresas cujas proprietárias são mulheres em todo o mundo, removendo barreiras financeiras, culturais e políticas.”

“O índice Dell WE Cities se diferencia de outros estudos, pois não somente classifica as 50 cidades de todo o mundo em relação a sua capacidade de promover mulheres empreendedoras, como também mostra como essas cidades melhoraram em comparação com seus resultados em 2017”, diz Karen Campbell, diretora-adjunta de consultoria, IHS Markit.

Promovendo mulheres empreendedoras

Os resultados do Índice WE Cities de 2017 a 2019 destacam as conquistas e os desafios que cada cidade enfrenta e onde as cidades podem aprender melhores práticas umas com as outras. Se tiverem apoio dos governos locais, esses aprendizados importantes poderão levar a grandes mudanças para empresas cujas proprietárias são mulheres em todo o mundo. Com base nas descobertas e comparações entre os índices de 2017 a 2019, a Dell também desenvolveu um conjunto de recomendações de políticas para WE Cities com foco em três áreas, incluindo:

  • Acesso a capital financeiro e humano e desenvolvimento desse capital;
  • Papel dos setores público e privado no aumento do acesso a redes e mercados locais e globais;
  • Como líderes de negócios e do governo podem ajudar as mulheres empreendedoras a crescer no panorama dinâmico da tecnologia.

s;