/>

Empreendedorismo Feminino: por onde começar?

*Por Leandra Matos

 

 

Nesse período de incertezas, vemos um aumento significativo no número de empreendedores no Brasil; em boa parte, mulheres que buscam oportunidades de realização profissional, melhoria da condição financeira, flexibilidade de horários e de passar mais tempo com a família.
Quem nunca ouviu a frase: “se não vai pelo amor, vai pela dor”?Geralmente a ideia de negócio surge de uma necessidade não atendida, de um nicho de mercado pouco explorado ou ainda da necessidade de um atendimento personalizado.

 


O que poucos contam é que iniciar um negócio não é nada fácil, a maioria não sabe por onde começar. Você já se pegou pensando em mudar sua vida, começar um negócio, mas não sabe como? Não sabe onde é bom o suficiente?

 


E se já conseguiu descobrir seu nicho, não sabe se começa a empresa de maneira informal, se contrata alguém para fazer um site ou ajudar com as redes sociais, não sabe como controlar estoque, captar clientes ou não consegue colocar preço em seu produto ou serviço? É como se fosse umbrainstorminge é nesse momento que as coisas acontecem e as ideias surgem.

 

Há quem acredite que mulheres empreendedoras têm tempo sobrando, pouco trabalho e nada de preocupação. Mas, engana-se quem pensa assim. A cobrança é maior em todos os setores e, se você está trabalhando em casa, precisa dar conta da rotina doméstica e do trabalho. Ser eficiente em tudo não é fácil.


 

Algumas dicas são válidas para quem quer começar a empreender:

 

  • Comece trabalhando com algo que goste e que conheça bem;
  • Evite gastos desnecessários;
  • Caso trabalhe em casa, defina seu horário e seu espaço;
  • Estude marketing digital e o uso de redes sociais para divulgação de seu negócio;
  • Procure informações sobre seu negócio em sua região e como a concorrência trabalha. Assim, você pode definir corretamente seu preço;
  • Faça um plano de negócios;
  • Procure informações em locais sérios que promovam seu crescimento, como o SEBRAE;
  • Entre em contato com empresas que oferecem a troca de experiências com outros empreendedores como RME, Aliança Empreendedora, Escola Brilhante e tantas mais.

 


Vá a eventos destinados a seu ramo de atividade e entenda como está o mercado atual.
Lembre-se! Você não está sozinho nessa jornada!

 

E, sim, é possível encontrar soluções para empreender sendo mulher e mãe ao mesmo tempo.

 

Com determinação e organização, tudo é possível!

 

*Mãe da mãe da Sofia, 12 anos e Alice, 6 anos. Empreendedora emLEMA Reforço Escolar, especializada em atender crianças com Dificuldade de Aprendizagem. Formada emPedagogia e Pós Graduada em Neuropsicopedagogia Clínica e Institucional. Mentora na Aliança Empreendedora.

 

s;