/>

Poder do coletivo: mulheres que apoiam mulheres são mais bem-sucedidas

*matéria da revista Forbes traduzida

 

Eu sempre digo que uma mulher sozinha tem poder; coletivamente, temos impacto. Tradicionalmente, fomos ensinadas a ser competitivas umas com as outras, porque havia uma escassez de empregos no topo.

 

É muito claro que essa estratégia não funciona. A verdade é que elevar umas as outras e canalizar o poder da colaboração é como realmente vamos mudar a equação – e nos divertir muito mais ao longo do caminho.

 

Há clubes para homens, onde as mulheres nunca se sentiram confortáveis, por isso decidimos criar, há mais de seis anos o Girls ‘ Lounge, um clube das meninas, onde todas se sentem acolhidas e descobrimos duas coisas:

 

  1. Há poder no coletivo.
  2. Você percebe que seus pontos fortes tornam a troca de experiências melhor.

 

Hoje, conectamos mais de 17.500 mulheres e empreendedoras corporativas e associamos seus nomes no The FQ Lounge (uma rede de conexões para mulheres), onde as mulheres ainda são a maioria, mas os homens se sentem bem-vindos e confortáveis.

 

Precisamos reverter o estereótipo de que as mulheres não apoiam outras mulheres. Há pesquisas que mostram que as mulheres, em particular, se beneficiam da colaboração ao invés da competição. Estudos após estudos mostram que as mulheres que apoiam outras mulheres são mais bem-sucedidas nos negócios.

 

Novas pesquisas na Harvard Business Review revelam que, embora homens e mulheres se beneficiem de ter uma rede de pessoas bem conectadas em diferentes grupos, as mulheres que também têm um círculo íntimo de contatos próximos são mais propensas a ocupar cargos executivos com maior autoridade e salários mais altos, embora não houvesse vínculo encontrado para o sucesso dos homens em termos da composição de gênero de seus círculos internos.

 

O motivo? As mulheres que tentam ascender à liderança enfrentam obstáculos culturais e sistêmicos que dificultam seu avanço, como o preconceito inconsciente. O estudo sugere que uma maneira de superar alguns desses obstáculos é formar conexões estreitas com outras mulheres, que podem compartilhar suas experiências pois já passaram pelas mesmas dificuldades – e mostram que vale a pena trazer seus talentos únicos para a liderança.

 

“Há um novo clube para meninas que não tínhamos antes, porque o local de trabalho era predominantemente masculino”, diz Jocelyn Greenky, especialista em cultura e política de escritórios e CEO da Sider Road. “Agora que muito mais mulheres estão entrando no local de trabalho, estamos encontrando nossa voz. Também estamos construindo círculos de confiança porque podemos estar enfrentando obstáculos semelhantes e nos apoiando”

 

Laura McGee, CEO da Diversio, que usa inteligência artificial para ajudar as empresas a superar os desafios da diversidade, concorda. “Em todas as nossas empresas em vários setores e países, vemos o acesso às redes como uma das principais barreiras que impedem as mulheres de avançar por serem excluídas pelos homens e para compensar isso, elas estão desenvolvendo fortes relações profissionais com outras mulheres. Minha hipótese sobre os resultados da pesquisa é que essas mulheres estão efetivamente atuando como mentoras e patrocinadoras umas das outras”.

 

Aqui está o conselho de mulheres líderes sobre como encontrar e cultivar uma rede próxima de profissionais do sexo feminino.

 

Deixe a palavra “trabalho” fora da rede

 

Há poder nos relacionamentos que se estende além de uma apresentação genérica. Ao criar conexões com base em interesses e metas compartilhados, você terá mais sucesso no seu trabalho, porque as pessoas querem trabalhar com pessoas que conhecem e gostam. O Girls ‘ Lounge começou primeiro porque eu não queria ir a uma conferência dominada por homens sozinha, então convidei algumas amigas para virem e pedi que convidassem suas amigas.

 

“O Girls ‘ Lounge me impactou pessoalmente e profissionalmente. A maioria das indústrias é tão isolada, mas o lounge quebra essas barreiras e permite que você se conecte com mulheres que você nunca imaginaria”, diz Gail Tifford, diretora de marca da WW, ex-Vigilantes do Peso. “E é quando a magia pode acontecer.”

 

“Meu conselho para as mulheres é reformular o que é “networking”, diz Tifford. “O fato de que a palavra tem “trabalho” cria pressão para as mulheres sentirem que é algo que precisam fazer, e então eu vejo as mulheres se estressarem sobre como fazer isso. Simplesmente colocar-se em ambientes que lhe dão a oportunidade de se encontrar com colegas e se conhecer e compartilhar experiências pode ser um fator de mudança. E as chances são, se você fizer conexões significativas, são aquelas que durarão a vida inteira”.

 

Priorize o desenvolvimento de relacionamento

 

Você não faz negócios com uma empresa, faz negócios com pessoas de quem gosta e confia. Eu sempre priorizei o tempo com minhas amigas. “Para fazer essas conexões, primeiro você precisa decidir se é importante para você”, diz Erica Keswin, autora do Bring Your Human to Work e fundadora do Spaghetti Project. “O seu calendário reflete seus valores? Há tempo não. Não porque somos pessoas más, mas porque temos muito o que fazer. Pergunte a si mesmo: “Os relacionamentos são importantes e por quê?” Pode ser porque você quer um novo emprego ou para avançar em sua carreira. Não estamos nos conectando quando não deixamos nossos celulares, então planeje o tempo para isso.”

 

Saiba que construção de relacionamento não deve ser superficial

 

Networking pode ser superficial. Você aperta a mão de alguém e dá um cartão de visita e onde isso te deixa? Com uma pilha de cartões de visita na sua mesa. Um relacionamento, por outro lado, toca seu coração e cria uma parceria eterna. Para manter as conexões vivas, elas devem ser nutridas.

 

“Procure pessoas que você admira. Peça conselhos e acompanhe. Participe onde e como puder. Em suma, seja uma fazedora!”, diz Linda Yaccarino, presidente de Publicidade e Parcerias da NBCUniversal.

 

Enalteça outras mulheres

 

Eu amo a Teoria do Brilho, que é a ideia de que quando você ajuda outra mulher a se levantar, todos nós brilhamos. “Construa outras mulheres! Se você vê sua colega de trabalho fazendo um ótimo trabalho, dê crédito a ela … diga ao seu chefe ou a outros colegas de trabalho”, diz Rebecca Wiser, co-fundadora e diretora de comunicações da Womaze, um aplicativo centrado em auto empoderamento para mulheres. “No começo, parece que você está tirando a atenção de si mesmo, mas na verdade está mostrando que é uma parceira de equipe de apoio, além de uma líder inspiradora – e segura o suficiente para elogiar os outros.”

 

Encontre a sua turma e grude nelas

 

Quem seria seu grupo de garotas se você tivesse uma emergência, precisasse de conselhos honestos ou quisesse uma apresentação comercial importante? Quando se trata de construir relacionamentos, muitas vezes você recebe o que você dá.

 

Pam Kaufman, presidente da Viacom / Nickelodeon Global Consumer Products, compartilha este conselho que uma vez recebeu: “Richelle Parham, ex-CMO do eBay que faz parte do conselho da Best Buy, certa vez me perguntou: ‘Quem está no seu time?’ Ela não quis dizer pessoas que eu administrava, mas quem eu tinha na minha vida profissional que servia como minha rede de apoio. Seguindo o conselho de Richelle, comecei a construir meu esquadrão – pessoas com quem eu podia trocar ideias, pedir conselhos, me buscar quando precisasse de ajuda. Hoje, minha equipe é tão importante para minha carreira e meu bem-estar mental. Não apenas apoiamos uns aos outros, mas atuamos como conectores para pessoas e oportunidades. Sempre que um de nós se depara com uma grande oportunidade, nós imediatamente enviamos um para o outro. É incrível fazer parte de um grupo de mulheres que querem que você seja o seu melhor e o ajude ativamente a ter sucesso.”

 

Nós somos melhores juntos. Como Madeleine Albright disse: “Há um lugar especial no inferno para mulheres que não ajudam outras mulheres.” Como dizemos por experiência pessoal, “existe um lugar especial no céu para mulheres que apóiam outras mulheres”.

 

Shelley Zalis é CEO do The Female Quotient, uma rede de igualdade de gênero.

 

Original: https://www.forbes.com/sites/shelleyzalis/2019/03/06/power-of-the-pack-women-who-support-women-are-more-successful/#3db718481771

 

s;