Carnaval e empreendedorismo: mulheres que fazem da folia um negócio

Uma das épocas mais aguardadas pelos brasileiros, o carnaval, chega fomentando o mercado. Os foliões buscam todos os anos por produtos e serviços diferenciados, personalizados e cheio de estilo para se destacarem em meio aos blocos de rua e desfiles de escolas de samba.

 

Nesse cenário, é possível empreender de diferentes formas, adequando seu produto ou serviço de acordo com a procura dos foliões. A Roberta Olzon, fundadora do Epicentro Criativo, aproveita o carnaval para aumentar a venda de suas pochetes e doleiras personalizadas. “Para mim o carnaval é uma época muito boa para vender, porque infelizmente nessa época aumenta muito o furto de carteiras e celulares. Ano passado minhas vendas foram ótimas, rendeu até uma reportagem para um jornal.”

 

 

Já a Mariéli Londero, empreendedora da Empodera.mov  aproveita a temporada do carnaval para vender camisetas com estampas empoderadas por meio do Instagram e Facebook. “Estou focada em vender para o carnaval. A mulher que comprar a camiseta ganha uma cartinha falando sobre empoderamento também! Então estou procurando trazer esse nível de ‘educação’ para curtir o carnaval com mais segurança.”

 

 

A empreendedora Naiara Cândido, fundadora do Contém Glitter, viu no carnaval a oportunidade de iniciar um negócio vendendo glitter biodegradável. “No ano passado, tivemos um crescimento de 300% e eu decidi ir além! Continuei trabalhando a marca durante o ano fornecendo o produto para casamentos, festas, ações de marcas e eventos de empresas.”

 

 

Essas e outras mulheres são exemplos de empreendedoras que encontraram no carnaval uma oportunidade de impulsionar seus negócios. E você, vai empreender no carnaval também?

s;