Meninas da Zona Leste têm projeto selecionado pela ONU

Projeto vai promover conscientização sobre empoderamento feminino em escolas públicas localizadas em áreas de vulnerabilidade social

 

As estudantes Karen Samyra e Kauanne Patrocinio, ambas de 17 anos, moradoras do bairro União de Vila Nova, na zona Leste de São Paulo têm muito o que comemorar. O projeto Em Quadro, criado por elas, em parceria com o amigo Paulo dos Santos Sousa, foi selecionado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e vai receber R$ 4 mil para levar performances teatrais e rodas de conversa para crianças e adolescentes de escolas públicas do bairro, tratando da questão sobre o empoderamento feminino.

 

O intuito é resgatar a autoestima e abordar temas ligados ao relacionamento abusivo e violência doméstica. “Sabemos que todos os dias as mulheres têm seus direitos negligenciados, é isso que queremos mudar. Desde cedo elas podem saber que são empoderadas e podem lutar pelos seus direitos”, analisa Karen. Além do Em Quadro, outros quatro projetos também foram contemplados e receberão R$ 4 mil. Todos também irão concorrer na etapa mundial do edital, onde o projeto vencedor receberá 20 mil dólares para ter continuidade.

 

Karen e Kauanne, que também são primas, aprenderam a importância da luta pelos direitos desde cedo. Elas passaram a infância e adolescência como educandas do Centro Social Marista Irmão Justino, que atende gratuitamente crianças e adolescentes de 5 a 17 anos. Foi nesse local que elas descobriram que é possível ter uma educação gratuita e de qualidade e ter acesso ao lazer e à arte. “O teatro foi algo que aprendemos no Centro Educacional, e hoje ele é fundamental, porque é com ele que queremos nos expressar e conscientizar as pessoas por meio do projeto”, salienta Kauanne.

 

Para Sheila Pomilho, diretora da unidade, a história das primas é um incentivo a mais para o trabalho desenvolvido no Centro. “O projeto serve como inspiração e exemplo para nossos educandos. É uma alegria ver que eles podem transformar as suas realidades e levar esse protagonismo para o mundo”, comemora Sheila.

 

Inspiradas, as meninas acreditam que são capazes de motivar e conscientizar, assim como um dia aconteceu com elas. “Os meus olhos foram abertos, se nós somos empoderadas hoje e queremos dar voz a um projeto, é tudo fruto de uma semente que foi muito bem plantada”, disse Karen, que também atua como jovem aprendiz no Centro Educacional Marista Robru.

 

Créditos das fotos: UNICEF | BRZ| Fernando Martinho

 

CEM Irmão Justino

 

O Centro Educacional Marista Irmão Justino faz parte da Rede Marista de Solidariedade (RMS) que, através de ações nas áreas da educação e da assistência social, beneficia mais de 7 mil crianças, adolescentes e jovens em unidades de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.  O Centro em São Paulo oferta Educação Infantil e no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para crianças, adolescentes e jovens cujas famílias tenham renda per capita de até um salário mínimo. Mais informações:www.solmarista.org.br.

s;