/>

Empoderamento feminino e empreendedorismo

Por Alice Salvo Sosnowski, fundadora d´O Pulo do Gato
 
Um dos mais importantes vetores para o empoderamento feminino é o empreendedorismo. A independência financeira, a rede de apoio, a possibilidade de trabalhar com o que gosta fortalecem a causa da mulher em todo o mundo.
 
O Brasil é um dos países em que as mulheres mais empreendem, segundo a pesquisa internacional Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2017/18. Elas se destacam em setores como prestação de serviços e ganham espaço à frente das pequenas e médias empresas no país.
 
O empreendedorismo feminino traz para o cenário empresarial características que acabam impactando positivamente no dia a dia dos negócios como a equiparação de direitos entre os sexos e um maior impacto positivo econômico e social nas comunidades onde as empreendedoras estão inseridas.
Mas os desafios a serem vencidos ainda são grandes. O primeiro é cultural, já que a mulher tem uma educação que não incentiva o risco e a posição de liderança. E o segundo é conjuntural. Pesquisas indicam que a mulher sofre mais impacto com a dupla jornada e precisam conciliar a vida profissional e familiar com o cuidado dos filhos.
 
Um levantamento realizado pela Rede Mulher Empreendedora em todo o Brasil em 2018 mostra que a empreendedora brasileira tem em média 39 anos, têm curso superior, é casada e tem filhos. A pesquisa ainda mostra que a maioria das empreendedoras decide empreender após a maternidade e que as razões emocionais são os grandes alavancadores dessa decisão. Trabalhar com o que gosta, ter uma maior flexibilidade de horário, conseguir uma renda melhor e inspirar pessoas são alguns dos motivos apontados pelas empresárias para enfrentar a aventura de abrir um novo negócio.
 
Veja abaixo outros dados interessantes foram coletados pela pesquisa Pesquisas RME – Empreendedoras e seus negócios que já está em seu terceiro ano:
 
MATURIDADE DO NEGÓCIO – 3 em cada 10 negócios representam o sustento único da família
 
SETOR DE ATUAÇÃO: a maior a concentração está em Serviços (69%), seguido de comércio (25%) e Terceiro Setor.
 
FORMALIDADE: 32% são MEIs, 23% micro empresárias e 19% ainda está na informalidade
 
FATURAMENTO: 46% fatura até 5 mil reais e apenas 4% faturam acima de 50 mil reais
 
SOCIEDADE: 60% não tem sócios e 37% empregam apenas mulheres
 
CAPITAL INICIAL: 37% iniciaram seu empreendimento sem capital inicial e também nao procuram empréstimos bancários ou de outras fontes
 
OTIMISMO: apesar dos desafios, 86% das mulheres acreditam que 2019 será um ano melhor para os negócios
 
PONTO DE ATENÇÃO
 
FINANÇAS: 65% misturam a conta da empresa com conta pessoal e 45% não solicitam empréstimo bancário com medo de dívidas
 
PLANEJAMENTO: 86% das empreendedoras não se planejam antes de iniciar um negócio
 
*Alice Salvo Sosnowski é jornalista, empreendedora, autora do livro “Empreendedorismo para Leigos”, e criadora da metodologia O Pulo do Gato Empreendedor©. Atua também como mentora e consultora de empreendedores, startups e empresas de diversos setores.
 

s;