/>

Não basta ouvir, é preciso saber escutar!

Por  Elaine Campos*
 
Geralmente não se valoriza muito a habilidade de ouvir. Tanto que, para elogiar alguém que se destaca em suas ideias é comum dizer: “este é um cara de visão”. No entanto, a falta de ouvir gera uma desconexão com o momento presente.  Saber ouvir é de grande importância tanto na vida profissional quanto pessoal.
 
Depois de anos de estudo sobre o tema, Otto Scharmer, economista americano e professor do Massachusetts Institute of Technology (MIT), criou uma distinção entre os 4 níveis de escuta:
 
Nível 1: é basicamente fazer um download. Você presta atenção no que já sabe e apenas reconfirma suas crenças.
 
Nível 2: você nota aquilo que é diferente e começa a encontrar dados que contradizem suas próprias teorias. Essa contradição é, na verdade, uma fonte de inovação.
 
Nível 3: aqui temos a audição empática, que é ouvir com o coração aberto e se conectar com a experiência do outro.
 
Nível 4: no nível mais profundo temos a audição generativa, que nos leva a uma conexão com uma possibilidade futura. Você ouve dados no presente e é capaz de projetar o futuro a partir desta informação.
 
Bons treinadores, grandes educadores e líderes fazem isso. Eles não veem você considerando apenas o passado, mas sim sua máxima possibilidade futura. E essa é a essência do quarto nível de audição.
 
Para um empreendedor, a escuta ativa pode ser uma verdadeira fonte de inspiração. Ao ouvir seus clientes, você pode descobrir dificuldades que eles têm com o seu produto, necessidades que não são atendidas e até mesmo ouvir elogios sobre um funcionário que você nem tinha notado.

E agora, você está pronto para ouvir os seus clientes?

 
*Elaine Campos é Estrategista de Marketing, Design Thinker,  Facilitadora e Idealizadora da rede Designers do Bem. Atua também como Consultora de Marketing para empreendedores e startups.
 

s;