/>

Mercado kidsfriendly: Já pensou em adaptar seu espaço ou marca para as crianças?

Por Luísa Alves*

Antigamente, a infância não era vista como uma questão de atenção na sociedade. Até poucas décadas não nem preocupações para adequações de sentimentos e valores imprescindíveis hoje na infância, quanto mais a participação delas na vida social. Se ontem as crianças sequer sentavam à mesma mesa que os adultos, hoje esses mesmos procuram por locais para comer em que seus filhos não só possam comer junto, mas se divertir também. Vivenciando essa dinâmica e divulgando iniciativas adaptadas as crianças através do Guia Fora da Casinha, percebi esse interesse dos empreendedores. O mercado tem se aberto às crianças por entender, não só que elas consomem, mas também fidelizam clientes. Eu explico!

Nem vamos falar aqui de publicidade infantil ou sobre o quanto há empresas gigantes focadas só nas crianças e em seu potencial de consumo. O foco aqui é mesmo a chance de atrair clientes quando se adapta às crianças. Para os pais, é difícil e cansativo sair de casa com crianças, muitas famílias inclusive se sentem mais cômodas visitando parentes ou no playground do próprio prédio do que indo a qualquer lugar de lazer. Ir a um restaurante, pegar um táxi, fazer compras, ir a um salão de beleza, tudo normalmente fica mais difícil quando você tem uma criança pequena com você. Ela tem ímpetos de exploração do ambiente ou mesmo frustrações, que demandam atenção dos cuidadores os quais precisam se dividir entre cortar o cabelo, comer, etc, e cuidar de uma criança.

Quem é a persona da sua marca?

Se você como empreendedora percebe que boa parte do seu público é de mulheres com filhos, famílias com criança, avós com netos, comece a pensar em facilidades que possa oferecer para aliviar para seus consumidores. Isso pode se transformar em um grande diferencial para você e vantagem para seu público.

Quem já está colhendo frutos?

Shoppings center são o maior exemplo dessa busca: em São Paulo, todo mês um parque temático ou uma atração infantil diferente ocupa os locais de grande circulação. Há banheiros adaptados não só com fraldário, mas com lindos (e algumas vezes patrocinados) espaços família, onde pais e filhos podem usar. Aos poucos algumas iniciativas também tomam forma: feiras gastronômicas, supermercados, lojas de automóveis ou de material de construção com espaço kids. Sem falar em feiras e eventos com temas nada infantis, mas com espaço kids. Até motoristas de aplicativos têm deixados cadeirinhas no porta-mala e além das clássicas balas, colocam lápis e canetinha à disposição dos pequenos, para distração.

Potencial de retorno

Mesmo se você não tiver um espaço físico e ainda assim tiver um público formado por pessoas com crianças na família, pode se inspirar em exemplos de marcas de roupas que criaram linhas infantis parecidas com as roupas usadas pelos pais a pedido dos próprios clientes. Se o seu restaurante é delivery, há itens de menu kids, por exemplo? O conteúdo que você disponibiliza para seu cliente, demonstra entendimento sobre sua família? Posso garantir que esse olhar com as crianças, além de atrair mais consumidores e fidelizá-los quando bem atendidos, ainda promove compartilhamento da informação: esse cliente vai elogiar sua marca a outras famílias. Ou seja, é sua publicidade boca-a-boca agindo de maneira espontânea e fiel.

Se você vê nisso uma oportunidade de se diferenciar, mas não dispõe de grandes verbas, pode começar aos poucos com pequenas mudanças. Um fraldário já ajuda muitas famílias com bebê. Se puder ser num local neutro, em que pais também possam trocar seus filhos: ponto para sua visão de marca a respeito da participação familiar. Pequenos restaurantes e cafés com cadeirão limpo e giz de cera e papel já têm inúmeros pontos a mais. Converse com seu cliente veja suas necessidades. Pesquise, teste e valide suas mudanças.

Pequenas ações e iniciativas inovadores já rendem inclusive interesse da imprensa. São Paulo já tem por exemplo estúdio de tatuagem com espaço kids. Hotéis estão sempre investindo em novos atrativos infantis e cuidadores para que clientes com crianças retornem ou mesmo tragam amigos. Suas assessorias de imprensa de locais, marcas e produtoras de eventos, estão sempre nos procurando para divulgar as novidades kidsfriendly. Isso gera visibilidade e atualização do branding. Entendendo seu mercado e clientes, além das qualidades do seu produto ou serviço, essa estratégia destaca sua marca e pode torná-la pioneira.

*Luísa Alves é Relações Públicas e atua em marketing digital há mais de 10 anos. Depois de se tornar mãe, há três anos, criou o Guia Fora da Casinha, plataforma de empoderamento de famílias com criança na cidade de São Paulo. Aborda diariamente agenda cultural, educação, infância, empoderamento de mães e diversidade. Luísa realiza roteiros e eventos para famílias com crianças, participa de eventos sobre o tema bem como realiza consultoria para estabelecimentos se adaptarem às crianças. É formada em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

 

s;