/>

E o planejamento estratégico de 2019?

Por Alice Salvo Sosnowski*

 

Se sua empresa não fez, ainda dá tempo de colocar a mão da massa e planejar quais serão os próximos passos do negócio

 

O primeiro mês do ano já está se despedindo, mas tem muito empreendedor que ainda está definindo suas metas de 2019. Tudo bem. Nunca é tarde para se planejar e almejar novos patamares nos negócios. Melhor fazer agora, do que deixar pra lá.

 

É comum dizer que a rotina engole a estratégia todos os dias no café da manhã. E é mesmo. São contas a pagar, fornecedores para negociar, clientes a conquistar que esquecemos de planejar e ficamos “matando um leão por dia” sem chances de prosperar.

 

A verdade é que sem planejamento é muito difícil um negócio sair do lugar, e por mais que se esforce, o empreendedor fica dando voltas inúteis, como naquela famosa roda de laboratório em que os ratos correm, correm, e não saem do lugar. O conselho para quem quer fugir dessa armadilha é: faça um Planejamento Estratégico. Afinal, quanto mais preparados estivermos, melhor iremos enfrentar os desafios do negócio.

 

Existe uma infinidade de ferramentas que auxiliam no planejamento como análise SWOT, PDCA, Metas smart, etc, mas também é possível montar uma estratégia de forma ágil e simples. A primeira coisa é responder perguntas fundamentais :

 

  • Quem Somos (Missão, Visão, Valores, lembra?)
  • Onde Queremos Chegar?
  • Quais nossos objetivos de curto, médio e longo prazos?

 

A partir dessas questões, você pode fazer uma análise geral de contexto do mercado, relacionando os ambientes interno e externo, ou seja, o que a empresa tem e o que ela precisa para alcançar os objetivos propostos.

 

O ideal é que essas respostas sejam encontradas em conjunto com funcionários, sócios e parceiros. Se não for possível, é essencial consolidar tudo num documento e compartilhar com todos. Fica mais mais colaborar para a conquista das metas, quando as pessoas estão informadas e engajadas num processo transparente.

 

Também é importante monitorar frequentemente os resultados para rever e refinar as ações ao longo do ano. Sempre há fatores que podem mudar o cenário como a saída de um sócio, a entrada de um novo concorrente, uma mudança súbita de mercado ou da própria economia.

 

Uma sugestão é agendar reuniões mensais para rediscutir o planejamento. Isso, além de auxiliar na gestão do plano, também ajuda nas correções e prováveis ajustes na rota.

 

O planejamento não precisa ser escrito em pedra e não deve congelar as aspirações da empresa. Ele é apenas uma ferramenta que ajuda na tomada de decisões, no enfrentamento de  obstáculos e também na detecção de oportunidades. Não podemos prever o futuro, mas devemos tentar construí-lo com  o que temos em mãos.

 

*Alice Salvo Sosnowski é jornalista, empreendedora, autora do livro “Empreendedorismo para Leigos”, e criadora da metodologia O Pulo do Gato Empreendedor©. Atua também como mentora e consultora de empreendedores, startups e empresas de diversos setores.

s;