Sejamos pessoas: antes de sermos empresários

pessoas

O fator humano é decisivo para o sucesso do seu negócio
 
Por Leiza Oliveira, CEO e diretora educacional da rede Minds Idiomas
 
Nossa saúde geralmente está associada ao que comemos, com quem convivemos, influências genéticas, e hábitos. Fazendo uma analogia com essa primeira afirmação: a “saúde” do seu negócio está ligada a pessoas. Logo, sua saúde física e mental e dos seus colaboradores, parceiros e fornecedores é o que fará o seu empreendimento deslanchar.
 
Assim, fatores como manter uma rotina de sono, ter paciência, disciplina, investir no aperfeiçoamento técnico e tratar a sua ansiedade e medos são alguns elementos que lhe ajudarão a se tornar multiplicador(a). Isso é, o líder e\ou empresário(a) se tonar um “espelho” para os demais funcionários. E esse exemplo serve para todos(a) da sua rede empresarial, independente do cargo e\ou função desse colaborador.
 
E por que afirmo que temos que ser pessoas antes de sermos profissionais?
 
Uma pesquisa recente divulgada pela Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic) mostra que 80% dos consumidores já desistiram de comprar um produto\serviço devido a mau atendimento. Ou seja, o processo de decisão da compra está muito mais ligada ao serviço prestado do que o preço em si. Além disso, as vendas online estão ligadas as lojas físicas e vice-versa.
 
Por mais que a tecnologia esteja imperando e que em poucos cliques conseguimos adquirir itens nas redes sociais e\ou outros portais, o atendimento pessoal com qualidade é o que mais deixa os brasileiros felizes. Isso é o que revelou a pesquisa promovida pela Acic: 78% dos clientes preferem um bom atendimento presencial do que o atendimento online por chatbots (robôs que respondem os internautas).
 
Assim, promover um bom clima organizacional, ouvir os colaboradores, ter empatia, e principalmente dar feedback, independente do seu nicho organizacional, fará a sua empresa atingir a eficiência, e não apenas a eficácia. Desenrolando, dessa forma, para a venda, seja de um produto e\ou serviço, e promovendo um bom ambiente de trabalho. A ideia de trabalho em massa, baseado no excesso de horas laboral, e hierarquizado já é algo comprovado como ineficaz. Existe um alto índice de afastamento do trabalho por doenças.
 
Auto gestão e treinamentos
 
Lembre-se que você, como empresária, é líder do seu negócio. Não adianta treinar os funcionários, independentemente do tamanho da sua operação, se você não buscar primeiro o seu desenvolvimento pessoal e profissional. Muitas vezes quem tem a criatividade de desenvolver uma ideia inovadora de negócio não tem habilidade para gerenciar a empresa e vice-versa. Assim, se esse for o seu caso, empreendedora, saber delegar e negociar o gerenciamento do seu negócio é o que fará a empresa ir bem.
 
Faça terapia, converse com os amigos, mantenha uma boa rede de relacionamentos, fique com a família, cuide de si, antes de começar o plano de treinamentos da sua rede de colaboradores. E lembre-se: o treinamento interno não
deve apenas desenvolver competências técnicas dos colaboradores. Inclua exercícios de aperfeiçoamento socioemocionais.
 
O consultor norte- americano Chris Burry, afirmou: “Uma boa equipe pode corrigir
um mau produto, mas um bom produto não consegue corrigir uma boa equipe”.
Invista nas pessoas e em si.
 
5 passos que adotei na Minds English School
 
Nas mais de 70 escolas que administro temos um objetivo comum: formar cidadãos. Ou seja, não é a venda de cursos de inglês que nos norteiam e sim a consciência que trabalhamos em um negócio de educação e que o lucro é apenas consequência da excelência nas aulas e demais atividades das unidades.
 
Assim, por se tratar de um sistema de franquias, tonar coletivo esse preceito foi algo que colocamos em prática desde o ano passado. Após três anos de estudos acerca do tema coloquei em prática algumas ações, testei, e repliquei aos demais colaboradores:
 
– Auto-Estima
É análise, muitas vezes difícil, das nossas fraquezas e fortalezas. E claro, entender onde e como podemos mudar. O sucesso é consequência do que o nosso interno expõe e isso também é válido na nossa vida profissional. Indiquei várias instituições de ensino que disponibilizam atendimento gratuito psíquico e começamos a realizar feedbacks mensalmente. Para entender como está a vida desse funcionário dentro e fora da Minds.
 
-Compromisso sincero em realizar algo
Engana-se quem acha que quem consegue sucesso tem um dom! Foco, persistência, e planejamento das atividades\tempo que dedicará ao projeto\trabalho são os motores que ditam o sucesso. Esses três itens fazem a diferença nos outros
projetos de vida: relacionamentos, viagens, lazer, saúde, e etc.
 
-Cooperação
Estamos na era do compartilhamento de informações. A troca, seja de conhecimentos, experiências, ou ajuda emocional, é muito importante para o desenvolvimento da empatia. Uma importante habilidade socioemocional no
trabalho e fora dele. Na Minds, implantamos a “troca de setor”, ou seja funcionários do marketing trabalham em alguns períodos no administrativo, pessoal do administrativo tem contato com o pedagógico, e isso se torna cíclico. Quando cada setor da escola entende a importância do outro setor, do outro profissional, consegue criar mais empatia e pensar em inovações para a rede como um todo.
 
– Criando confiança
Todos nós temos dias ruins e bons, e parece clichê afirmar que depende de nós como vamos reagir aos acontecimentos, porém essa afirmação é o cerne de tudo. Os indivíduos sem confiança e auto-estima não se sentem merecedoras de
sucesso, amor e tranquilidade. Por isso, que fortalecer a confiança em si mesmo fará a diferença no seu dia a dia e concomitantemente no seu trabalho. Com a confiança há a busca pelas qualidades técnicas na profissão.
 
– Olhar igual
Não é porque um colaborador começou há um mês na sua empresa e outro já exerce as suas atividades há 15 anos que tenha que ter diferença no tratamento de ambos. Os planos de carreira devem comportar a todos. Claro que pode-se exigir competências técnicas específicas para as vagas, mas o comportamental deve ser importante para qualquer oportunidade empregatícia. Logo, o treinamento e atenção dada aos funcionários deve independer do tempo de casa. Tanto os estagiários, quanto os gerentes, independente do período que trabalham na companhia, devem ter acesso aos treinamentos, qualidade de vida, e oportunidades internas de crescimento.

s;