mulheres tecnologia />

Por que as mulheres saem da tecnologia?

As salas de ciências da computação são dominadas por homens. E quando há uma mulher no cargo de programadora as chances dela desistir são enormes. Mas por que?

 

Por Larissa Chinaglia, Inbound da Mastertech

 

Se você pensar em uma sala de aula de computação, aposto que vem a sua mente um professor gordinho, barbudo e de óculos ensinando inúmeros meninos a programar. Certo? Bem, a história da programação não começou sendo dominada por homens. Além disso, muitas meninas mostram interesse por áreas de exatas. Então a pergunta que fica é: como as mulheres não são maioria nas áreas de tecnologia?

 

Separei alguns pontos que contribuem para afastar as mulheres da área de tecnologia:

 

Tecnologia é coisa de menino

 

Bem, isso é um verdadeiro mito que ainda passa na cabeça de muita gente. Vou te mostrar que isso deve ser esquecido de vez.

 

A primeira é que todas somos mulheres na tecnologia. Isso mesmo. Você sabia que somos maioria nas redes sociais? Além de sermos as mais engajadas? Vamos analisar alguns dados importantes:

 

  • 58% das mulheres consomem notícias via mídias sociais em comparação com 42% dos homens: Isso não te ajuda a pensar que gostamos mesmo de tecnologia?
  •  

  • 32% das mulheres usam tablet PCs para as mídias sociais versus 20% dos homens: Acho que mais uma vez somos maioria, certo?
  •  

  • 76% das mulheres usam o Facebook contra 66% dos homens: Alguma dúvida de que somos muito mais engajadas nas redes sociais?
  •  

  • Twitter é a rede de gênero neutro, com 18% das mulheres  e 17% dos homens
  •  

  • 30% das mulheres acessam as mídias sociais várias vezes por dia em comparação com 26% dos homens: Acho que temos um carinho especial pelas tecnologias, certo?

 

Esses dados só confirmam: somos todos pessoas na tecnologia. Sabe o celular que você carrega na bolsa todos os dias? Ele já tem um processamento complexo, e você consegue utilizar ele várias vezes ao dia (e aposto que não dispensa por nada).

 

Além disso, sabia que já fomos maioria na tecnologia?

 

A primeira turma de Ciências da Computação do IME, na USP tinha uma sala composta por 70% de mulheres!
 

primeira turma ime usp
 

Essa imagem só ajuda a confirmar que tecnologia é sim coisa de menina também.

 

 

Faltam exemplos

 

Eu diria que falta reforçar as mulheres maravilhosas que já passaram pela tecnologia.

 

Já ouviu falar na Ada Lovelace?

 

Ela foi apenas a primeira programadora! Se você nunca escutou o nome dela antes, eu não te culpo. Infelizmente essas mulheres da computação não ganharam todo o espaço que elas mereciam.

 

Além da Ada, nós podemos citar várias outras influenciadoras da tecnologia:

 

Grace Hopper
 

Grace foi uma cientista da computação da Marinha dos Estados Unidos na década de 1940 que simplesmente inventou o primeiro compilador para uma linguagem de programação e popularizou a ideia de linguagem de programação que levou ao desenvolvimento do COBOL, umas das primeiras linguagens de programação a se aproximar da linguagem humana. Ou seja, ela é mais do que um exemplo!
 

grace hopper
 

E não para por aí, tá?

 

Já estudou um pouco sobre a Dorothy Vaughan?

 

Ela enfrentou duas grandes dificuldades: ser mulher e ser negra na década de 1940 nos Estados Unidos. Ainda assim, nada disso foi impedimento para ela ser uma das poucas mulheres que trabalharam na primeira missão espacial norte-americana.

 

Recentemente foi lançado o filme Estrelas Além do Tempo que retrata como Dorothy, e mais duas cientistas negras Katherine Johnson e Mary Jackson, venceram preconceitos que levaram os astronautas como Neil Armstrong, Alan Shepard e John Glenn a fazerem suas viagens espaciais com segurança.

 

Dorothy se formou em matemática, especializou-se em computação e liderou um grupo de mulheres negras formadas em matemática na NACA, que depois se tornou a NASA.
 

estrelas além do tempo
 

Além desses exemplos, podemos citar: Hedy Lamar, Karen Spärk, Margareth Hamilton, Radia Perlman, entre outras!

 

Ambiente nocivo

 

Sabia que segundo os dados da PNAD, 79% das mulheres que ingressam nas faculdade de tecnologia abandonam o curso logo no primeiro ano? E o próprio ambiente acadêmico pode incentivar isso.
 

Você entra em uma sala  de engenharia ou ciência da computação, de 60 alunos, você vai encontrar duas ou três mulheres. Até os professores não sabem lidar com essa realidade. E esse não lidar se replica no ambiente de trabalho.
 

Os profissionais de TI passam de oito a dez horas imersos em códigos e junto com sua equipe de programação: chefes, time, colegas. Já é possível imaginar que o desrespeito às mulheres nesse ambiente é muito presente, certo? Seja por comportamento agressivo ou por falta de educação.

 

Estereótipos
 

Um homem, barbudo, gordinho e que passa o dia todo olhando para o computador? Pois é, esse (infelizmente) ainda é o estereótipo dos programadores.
 

anatomia do programador
 

Candidate-se para vagas tech como um homem
 

Você já passou pela situação de estar procurando um emprego, encontrar uma vaga interessante, mas quando leu a descrição do cargo, deixou a vaga de lado porque não tinha todos os requisitos necessários?

 

Mulheres e homens se candidatam para as vagas por critérios diferentes: Os homens se candidatam às vagas quando preenchem 60% do requisitos, enquanto as mulheres só se candidatam se preencherem 100% deles.

 

Isso é ainda mais forte nas áreas de tecnologia. A vaga exige que você saiba todas as linguagens de programação, saiba gerenciar projetos, editar imagens no Photoshop… e logo você pensa “essa vaga não é para mim”.

 

Por isso que eu te digo: candidate-se!

 

Ninguém é obrigado a saber tudo e muitas vezes a empresa não precisa de todos aqueles requisitos. Por isso, não perca a oportunidade de arriscar uma vaga que você gosta por medo do fracasso, ela pode sim ser sua!

 

Então como se manter motivada na carreira de tecnologia?

 

Algumas formas de se sentir motivada:

 

Seja disciplinada

 

Escolha um momento só para programar. Já separa na sua agenda umas horinhas de acordo com seu tempo disponível. Se tiver muito corrido, o que acha de programar 1h por semana? Você pode ir aumentando com o tempo.  

 

Crie um projeto que você goste

 

Fica bem mais fácil se manter motivado quando você faz algo que você gosta, certo? Então aprenda o básico e use para desenvolver um projeto que você se identifique. Lembre-se que nenhum programador sabe tudo, então não tenha medo de errar.

 

Siga projetos que te inspirem

 

Separamos cinco projetos incríveis para você se agarrar e continuar firme nessa área que mais do merece ter maioria de mulheres

 

Progra{maria}
 
programaria
 

O projeto Programaria introduz mulheres à lógica de programação e ao desenvolvimento web em um curso presencial de programação, criando uma rede de mulheres em tecnologia e  banco de talentos.

 

Dentre as atividades, temos três pilares: inspirar, debater e aprender. Com o curso #EuProgrAMO, de Introdução à Lógica de Programação e Desenvolvimento Web, ganharam o prêmio “Mulheres Tech em Sampa”.

 

 
#MinasProgramam
 
minas programam
 

O projeto #MinasProgramam quer desconstruir a noção de que homens são mais aptos a programar. E nós sabemos que nós mulheres também merecemos esse espaço! A ideia do projeto é mostrar isso empoderando as mulheres, técnica e politicamente. O projeto promove um espaço de formação básica para mulheres que queiram saber mais sobre programação, mas não sabem por onde começar.

 

 
Mulheres na Computação
 
mulheres na computação
 

O blog Mulheres na Computação foi criado pela Camila Achutti, Co-founder da Mastertech, logo quando ela entrou na faculdade de Ciências da Computação, e ajudou muitas mulheres a se manter motivadas e terminar a graduação.

 

E aí? Aceita vir para esse universo?
 

Se você ficou empolgada e resolveu se tornar uma mulher na computação, você pode aprender a programar em um final de semana, sabia? A Mastertech, escola de habilidades do século XXI está com inscrições abertas para o curso de Aprenda a Programar em um final de semana. Ah, a Mastertech tem 52% de mulheres estudando tecnologia.

s;