/>

Novo simples irá gerar aumento de imposto

*Por Heloisa Motoki
 
Desde 2016 o governo divulgou novas regras para apurar o simples nacional, nessas mudanças o simples passa a ser complicado, a nova metodologia irá confundir o empreendedor, que não conseguirá com facilidade saber seu percentual de imposto a pagar, logo, a chance de fazer seu preço de venda errado também é bem grande.
 
Errando no preço de venda para maior, corre o risco de perder vendas pois estará acima do mercado, acima dos seus concorrentes. Se colocar um preço menor corre o risco de vender com prejuízo e o sócio governo não irá perdoar, irá querer a parte dele.
 

Na prática, empresas que faturam até 180 mil não terá alteração, a alteração será para empresas que já estão na segunda faixa em diante, aquelas que tem o faturamento anual acima de 180 mil ao ano.
 

O novo cálculo irá considerar a fórmula:
 

artigo helo
 

No anexo III, onde estão a maioria das empresas de serviços:
 

Como é:
 

artigo helo 2
 

Primeiro se observa o faturamento acumulado em 12 meses (no exemplo acima R$ 360 mil) e a partir deste faturamento é checado a faixa de imposto a ser aplicada (no exemplo, segunda faixa – faturamento de 180 a 360 mil) e sobre o valor de faturamento do mês (no exemplo R$ 30 mil) é aplicada a alíquota do imposto de 8,21% ficando R$ 2.463,00 de valor a pagar.
 

Como ficará:
 

artigo helo 3
 

Primeiro se observa o faturamento acumulado em 12 meses (no exemplo acima R$ 360 mil), a partir deste faturamento deverá ser verificado a faixa de imposto a ser aplicada 11,20% e o fator de redução (R$ 9.360,00).
 

Com esses dados deve ser feito a conta de: Multiplicar o faturamento acumulado com o alíquota, do resultado obtido subtrair o fator de redução e dividir pelo faturamento acumulado.

 

O resultado desta conta será a ALIQUOTA EFETIVA, a partir dela você aplica no faturamento obtido no mês, neste exemplo R$ 2.580,00 de imposto a pagar.
 

Seguindo o mesmo critério de acumulo de faturamento e faturamento do mês, os aumentos seriam:
 

artigo helo 4
 

Veja a tabela Completa neste link (
href=”http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp155.htm#art2″>http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LCP/Lcp155.htm#art2
)

 

Algumas dica para não errar na formação do preço de venda:
 

– Observe seu faturamento ao longo do período (crie alguns cenários bons e ruins) para considerar sua faixa, vá pela maior;
 

– Aproveite a gordurinha que ficará nas alíquotas para trabalhar os descontos que conseguirá conceder no fechamento;
 

– Coloque sempre prazo nas propostas enviadas para que você tenha condições de alterar o preço se necessário;
 

– Negocie também sobre o momento de faturar (gerar nota fiscal) e receber, isso irá influenciar no cálculo do imposto;
 

– Acompanhe qualquer movimentação do mercado para fazer os ajustes antecipadamente de sua estratégia;
 

– Não espere a virada do ano para começar sobre seu preço de venda para 2018, lembre-se que o ciclo entre a proposta de trabalho e o efetivo fechamento pode ser estender e qualquer aumento poderia atrapalhar sua negociação.
 
Lembre-se empreender é risco e só há redução de risco se houver planejamento.
 
Heloisa Motoki é influenciadora da Rede Mulher Empreendedora, fundadora da Quali Contábil (www.qualicontabil.com.br) e Consultora Especial no site Fórum Contábeis (http://www.contabeis.com.br/usuarios/102860/heloisa-motoki/). Com formação em MBA em Controladoria, Graduada em Ciências Contábeis e Técnico em Contabilidade, participante do programa de Empreendedorismo pela FGV/Goldman Sachs – 10.000 mulheres (http://www.10000mulheres.com.br/empreendedoras/Heloisa-Motoki ). Há 19 anos no mercado contábil, atua diretamente com pequenas e médias empresas em São Paulo

s;