nome da marca />

O Nome da Marca – Parte I

Por Camila Krohling Colnago
 
A ideia é inovadora, o modelo foi testado, o mercado é atrativo, o preço do produto é competitivo. Ótimo, aparentemente você já tem um negócio. Mas não está faltando uma coisinha?
 

Pode parecer exagero, mas tão importante quanto definir todos os itens citados acima é tomar a difícil decisão de escolher um nome estratégico para a nova empresa.
 

Não concorda? E se eu disser que por causa de nomes inadequados algumas empresas inclusive são excluídas de negociações? Imagine a situação: um cliente está em busca de fornecedores de canecas personalizadas para brindes. Faz uma busca no Google e aparecem como resultado uma empresa de nome “Canecas do Zé” e uma empresa chamada “Só Canetas Brindes Personalizados”. Qual é a chance de o cliente acessar o site desta segunda empresa?
 

Obviamente, trata-se de um caso exagerado, entretanto, a ideia é exemplificar como um nome pode tanto ajudar quanto atrapalhar um negócio.
 

Então, se neste exato momento você está passando pelo processo de definição do nome da sua empresa, aí vão algumas dicas preciosas para te ajudar a criar e escolher um bom nome, que é um dos elementos que formam a marca.
 

A primeira coisa a fazer é ter em mente que o nome da empresa precisa, de alguma forma, estar alinhado com o negócio e ter a ver com os produtos e serviços que oferece. Estrategicamente falando, quanto mais fácil for identificar o ramo de atuação da empresa só de ouvir seu nome, melhor.
 

Fora este aspecto, é muito importante pensar em questões práticas como:
 

. ORIGINALIDADE – Existe outra empresa com o mesmo nome, ainda que em outro segmento? Existe outra empresa com um nome parecido? É possível registrar o nome? Montar uma loja de produtos para decoração chamada “Caza Decor” não parece muito genérico? Fico pensando que em casa cidade do Brasil deve haver uma loja com este nome. Em compensação, uma loja do mesmo segmento que tenha o nome “Estúdio Casa” me parece mais simpático, familiar e original.
 

. COMPREENSÃO E FACILIDADE – Ao ler ou ouvir o nome, as pessoas conseguem entender facilmente do que se trata? O nome é complicado demais para falar ou escrever? Imagine passar o endereço do site para um cliente por telefone. Você vai precisar soletrar? Se o nome causa qualquer tipo de dúvida, uma coisa é certa: você pode escolher um nome melhor. Caza é com S ou com Z? É Decor ou Decô? Estúdio ou Studio?
 

. ABRANGÊNCIA – Tente não escolher um nome que seja estritamente vinculado aos produtos e serviços que a empresa oferece no momento, já que isto pode ser um limitador para o negócio. Quando criaram o Estúdio Casa, os empreendedores vendiam só itens para residências, e agora que querem expandir os negócios e incluir produtos para escritórios, sentem que o nome da empresa é um dificultador.
 

A pedido da Rede Mulher Empreendedora, estou preparando uma série de artigos sobre criação e construção de marcas, então fiquem atentos que em breve um novo texto a respeito do assunto será publicado por aqui. Enquanto isso, uma última dica: nomes curtos e simples são sempre uma boa ideia.
 

* Doutora em Comunicação e professora de pós-graduação, consultora especializada em comunicação estratégica para pequenos negócios à frente da Comunicação 027, Camila Krohling Colnago é empreendedora criativa da Maria Lembrancinha (estúdio de criação de produtos lúdicos que colabora para o protagonismo feminino destinando a produção a mulheres em situação de vulnerabilidade), Diretora de Comunicação da ONG Cidadão Pró-Mundo, parceira, palestrante, mentora e influenciadora da Rede Mulher Empreendedora.

s;